Defesa sanitária descobre foco do Aedes aegypti em casa do Ibama

Órgão de fiscalização do Distrito Federal localiza piscina abandonada que serve de abrigo para inseto na região mais rica da capital federal, o bairro do Lago Sul

Fotos: Leonel Rocha
O Aedes Egypiti, terrível mosquito que transmite dengue, febre amarela, chikungunha e o zika vírus, foi localizado pela Defesa Sanitária de Brasília na região mais rica da capital, o Lago Sul. Os agentes sanitários se assustaram com o local, uma casa do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) onde uma piscina com restos de água serve de criadouro.

O imóvel está abandonado. O mato toma conta do passeio e do jardim. A casa tem dois lugares considerados ideais para a reprodução do mosquito: a piscina que fica nos fundos e um pátio que fica no jardim.

A casa pertence ao acervo do Ibama, mas não é utilizada. Nem mesmo para depósito serve porque as instalações elétricas e hidráulicas estão comprometidas.

O instituto garante que na última vistoria não foram detectados focos do mosquito, e informa que não foi notificado pela vigilância sanitária do Distrito Federal sobre a situação. Os vizinhos do imóvel abandonado chamaram os fiscais com receio que as poças de água na piscina sirvam de criadouro.

“Apesar do imóvel estar desocupado, o Ibama realiza limpeza periódica no quintal, na piscina e na casa. Todas as denúncias com relação a possíveis focos de mosquitos transmissores na propriedade são apuradas por técnicos da administração do instituto”, diz a nota do órgão do governo, encarregado da formulação e fiscalização da política ambiental.

O Ibama prometeu realizar nova vistoria no local.

Mais sobre saúde

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!