Cunha recebeu 1,3 milhão de francos de lobista, diz jornal

Pagamentos foram feitos três meses depois de a Petrobras ter fechado negócio em campo de petróleo em Benin, informa Correio Braziliense. Suspeita é de propina em contrato de US$ 34 milhões

As evidências de que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), movimentou milhões por meio de quatro contas secretas na Suíça não param de se multiplicar. Além da revelação de que o dinheiro movimentado por meio dessas contas pagou despesas pessoais no país europeu, entre outras descobertas, agora pesa sobre Cunha depósito de 1,3 milhão de francos suíços feitos pelo lobista João Augusto Henriques. O montante equivale a R$ 5 milhões.

As informações são do Correio Braziliense. Segundo a reportagem, os pagamentos foram efetuados entre 30 de maio e 23 de junho de 2011, três meses depois de a Petrobras ter fechado negócio em um campo de petróleo em Benin, na costa oeste da África. A partir de informações reunidas por colegas do Ministério Público da Suíça, investigadores brasileiros suspeitam de que o peemedebista recebeu parte de propina para viabilizar o contrato de US$ 34 milhões.

“Duas contas de Eduardo Cunha foram encerradas logo após a deflagração da Operação Lava-Jato, em 2014. Nas outras duas havia um saldo em 17 de abril deste ano exatos 2.468.864 de francos suíços (R$ 9,6 milhões). Tudo foi bloqueado pela Suíça naquela data. Mas o dinheiro total que ingressou nessas contas – parte mais importante da investigação – ainda não é totalmente conhecido”, diz trecho da reportagem, assinada pelo repórter Eduardo Militão.

Embora cada vez menos convincente, Cunha tem repetido o discurso feito à CPI da Petrobras. Publicamente, tem sido evasivo ao ser abordado para comentar o assunto, e recorrentemente repassa tarefa ao advogado. Ele tem insistido em uma nota, como presidente da Câmara, por meio da qual diz desconhecer o teor das denúncias. “Diante desses fatos causa muita estranheza a divulgação seletiva de notícias visando unicamente constranger o presidente da Câmara, em contrapartida ao silêncio sobre fatos graves que não foram objeto de divulgação alguma. Refutamos a tentativa contínua de transformar o presidente da Câmara no principal foco da investigação”, alega.

Confira o fluxo do dinheiro movimentado em uma das contas de Eduardo Cunha, segundo o Correio Braziliense:

Petrobras → US$ 34,5 milhões → CBH (Benin) → US$ 31 milhões → Lusitânia Petroleum → US$ 10 milhões → lobista Augusto Henriques → 1,3 milhão de francos suíços → conta Orion SP (empresa offshore com conta em nome de Eduardo Cunha) no banco Julius Baer.

Leia mais:

Contas de Cunha na Suíça pagaram despesas pessoais

Suíça descobre US$ 5 milhões em contas de Cunha

Mais sobre Operação Lava Jato

Mais sobre Eduardo Cunha

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!