Cunha mantinha contas no exterior, diz BC

Documentação enviada pelo Banco Central ao Conselho de Ética da Câmara demonstra que Eduardo Cunha, ao contrário do que afirma, mantinha recursos no exterior

Valter Campanato/Agência Brasil
O Banco Central (BC) enviou ao Conselho de Ética da Câmara, que apura as denúncias contra o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), documentos que afrontam a afirmativa do deputado de que ele não tem contas na Suíça.

De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, o BC enviou um parecer técnico onde afirma que "para além de toda dúvida razoável", ficou demonstrado que Cunha mantinha recursos no exterior e tinha que declará-los às autoridades brasileiras.

Os documentos fazem parte do processo administrativo que tramita contra Eduardo Cunha no Banco Central, depois do Ministério Público da Suíça ter revelado que o deputado mantinha contas bancárias no exterior. Em outubro de 2015, a Suíça bloqueou R$ 9 milhões de Eduardo Cunha.

O presidente da Câmara responde ao processo de cassação no Conselho de Ética por ser acusado de ter mentido aos deputados ao dizer à CPI da Petrobras que não tinha contas abertas no exterior. A conclusão dos procuradores diz que ficou “caracterizada a infração de não fornecimento de informação ao Banco Central” entre 31 de dezembro de 2007 e 31 de dezembro de 2014.

Os procuradores não aceitam a explicação de Cunha, que alega não ser o dono direto das contas porque elas estavam constituídas em nome de "trusts", entidades criadas para administrar o dinheiro em seu benefício.

Mais sobre Eduardo Cunha

Mais sobre corrupção

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!