Cunha critica submissão ao governo e defende Legislativo independente

"Não seremos submissos. Nossa principal plataforma na campanha é a independência do Poder Legislativo, a independência da Câmara dos Deputados”, disse o peemedebista

Candidato à Presidência da Câmara, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) defendeu há pouco um Legislativo independente, altivo e que respeite os interesses da população brasileira. Em um discurso com críticas diretas à submissão do Congresso em “determinadas votações conduzidas pela base governista”, Cunha disse que sempre buscará a independência da Casa. Sobre o tema, Cunha acrescentou que quer um Parlamento que saiba dialogar com todos os poderes, mas que não abra mão das pautas que considerar importantes. Para ele, independência não pode ser confundida com oposição.

“Em primeiro lugar, nós não seremos submissos. Nossa principal plataforma na campanha é a independência do Poder Legislativo, a independência da Câmara dos Deputados”, declarou. Sobre a relação do Congresso com o Palácio do Planalto, afirmou que sua candidatura “não está pregando reinventar a roda, nem nenhuma bravata. A gente só quer que os poderes sejam independentes e harmônicos entre si”.

O carioca Eduardo Cunha, de 56 anos, vai para o quarto mandato consecutivo na Câmara, todos pelo PMDB. Neste momento, discursa no Plenário o candidato Júlio Delgado (PSB-MG).

Leia a íntegra do discurso de Eduardo Cunha

Mais sobre o novo Congresso

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!