CPMI das Fake News quer ouvir Joice e Waldir sobre campanha de Bolsonaro

A CPMI das Fake News deve convidar integrantes do PSL que entraram em atrito com o governo de Jair Bolsonaro nos últimos dias para prestar esclarecimentos sobre a campanha presidencial do ano passado. Já há requerimentos pedindo que Joice Hasselmann e Delegado Waldir sejam ouvidos pelos parlamentares que investigam e devem sugerir punições para os responsáveis pela divulgação de fake news. Os convites devem ser votados nesta quarta-feira (23).

> Eduardo Bolsonaro é confirmado líder do PSL na Câmara

"Já há requerimento convidando esses parlamentares. Esperamos que na próxima sessão o plenário delibere e, se deliberar aprovando a convocação ou o convite deles, eles serão ouvidos na CPI", contou o presidente da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI), o senador Angelo Coronel (PSD-BA), lembrando que a próxima sessão da CPMI das Fake News já está marcada para as 12h desta quarta-feira (23).

Os requerimentos que pedem que a ex-líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann, e o ex-líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir, sejam convidados a prestar depoimento sobre a campanha realizada pelo presidente Jair Bolsonaro no ano passado foram apresentados pelo senador Rogério Carvalho (PT-SE) e se baseiam nos depoimentos dados pelos parlamentares em meio à crise que dividiu o PSL entre bivaristas e bolsonaristas. Waldir, por exemplo, foi gravado dizendo que iria implodir o presidente Bolsonaro. Já Joice disse que sabe o que os aliados de Bolsonaro "fizeram no verão passado" e que não tem "medo da milícia, nem de robôs”.

"A deputada federal Joice Hasselman pode ajudar nas investigações sobre milícias digitais, uma vez que ela publicou em suas redes sociais: 'não tenho medo da milícia, nem de robôs', na sexta-feira passada, dia 18 de outubro, como resposta a uma publicação do filho 03 do presidente Jair Bolsonaro, o deputado Eduardo Bolsonaro. E afirmou ainda: 'Não se esqueçam que eu sei quem vocês são e o que fizeram no verão passado'", defendeu Carvalho.

Angelo Coronel confirmou que esses deputados podem contribuir com o trabalho da CPMI das Fake News, principalmente no que diz respeito às eleições passadas. "Eles já estão alardeando que o governo Bolsonaro se utilizou de um bunker e pessoas escoladas para cometer fake news. Estão alardeando antes mesmo de serem chamados pela CPMI. Então, espero que venham aqui e mantenham o que estão alardeando na mídia", provocou o presidente da CPMI.

O convite de Joice Hasselmann e do Delegado Waldir não são os únicos requerimentos a serem votados pela CPMI das Fake News nesta quarta-feira. Segundo o senador Angelo Coronel, já mais de 100 requerimentos aguardando votação no colegiado. Um deles também convida o ex-ministro da Secretaria de Governo, general Santos Cruz, a prestar depoimento sobre as estratégias digitais de campanha de Jair Bolsonaro. Em entrevista ao Congresso em Foco, Santo Cruz falou de uma "milícia digital" e de uma "gangue digital bolsonarista".

Os pedidos, porém, devem sofrer resistência dos parlamentares ligados ao governo, que têm tentado obstruir o trabalho da CPMI das Fake News, sobretudo porque alguns dos deputados bolsonaristas que haviam sido suspensos das suas atividades parlamentares conseguiram retomar essas atividades, inclusive a participação em comissões como esta.

> Eduardo Bolsonaro sai correndo para fugir da imprensa na Câmara; veja o vídeo

Catarse

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!