CPI estuda irregularidades no setor de turismo

Dois relatórios enviados pelo Tribunal de Contas da União (TCU) enviados à CPI dos Correios indicam que o órgão detectou mais problemas em contratos de publicidade de estatais. Em um deles, são listadas irregularidades em contratos de publicidade firmados entre o Ministério do Turismo e as agências de publicidade Perfil e Agnelo Pacheco. No outro, há operações suspeitas entre a Embratur, subordinada a este ministério, e as agências McCann Erickson e Art Plan Comunicação.

Em entrevista concedida à Agência Senado, o relator da CPI, deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), não quis detalhar os prejuízos. “São irregularidades de ordem técnica em licitações e renovações de contratos, mas não vou falar em valores”, disse. Sabe-se somente que as anormalidades ocorreram entre os anos de 2002 e 2005. Serraglio adiantou também que, se as irregularidades não tiverem ligação com o esquema coordenado pelo empresário mineiro Marcos Valério Fernandes de Souza, os dados poderão não fazer parte do relatório final.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!