CPI dos Fundos de Pensão é protocolada no Senado

Objetivo é investigar investimentos realizados por fundos de pensão de estatais, como Petros (Petrobras) e Previ (Banco do Brasil). Oposição vê falta de transparência e má aplicação de recursos

O presidente do Senado, Renan Calheiros, leu na sessão do Plenário desta quarta-feira (6) o requerimento para criação da CPI dos Fundos de Pensão, protocolado pelos senadores Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) e Ana Amélia (PP-RS).

Os senadores têm até meia-noite para retirar ou acrescentar assinaturas. A partir deste prazo, se confirmado o número mínimo de 27 assinaturas, os líderes partidários têm cinco dias para indicar seus representantes na comissão, que terá 11 integrantes. Caso as indicações não sejam feitas nesse prazo, caberá à Presidência do Senado indicar os representantes dos partidos na CPI para as vagas ainda em aberto.

O objetivo da criação da CPI é coletar informações a respeito dos investimentos realizados por fundos de pensão de empresas estatais, tais como o Petros (Petrobras), Postalis (Correios) e Previ (Banco do Brasil). Senadores de oposição têm criticado a falta de transparência e a má aplicação dos recursos dos fundos.

Senadores retiram assinatura e CPI dos fundos será arquivada

Mais sobre corrupção

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!