Contrariado, governador “demite” deputado federal

Agnelo Queiroz (PT) dispensa seu secretário para que ele volte à Câmara e assim obrigue deputado federal do PPS a deixar o Congresso

Contrariado com uma campanha negativa promovida pelo PPS, o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), mandou o secretário de Habitação, Geraldo Magela (PT), de volta para a Câmara dos Deputados. Dessa forma o PPS perde a cadeira ocupada pelo deputado suplente Augusto Carvalho (DF). Segundo nota divulgada pelo Governo do Distrito Federal, a "articulação foi feita para melhorar a ação política do GDF no Congresso Nacional, dada a posição de covarde oposição assumida pelo PPS".

Em nota, o PPS-DF repudiou a retaliação do governo local. "Para o PPS, covarde é o governo do petista, que não respeita a população. […] Covarde é um governo se omite diante da tragédia da saúde pública. […] Covarde é a atual gestão do PT frente ao GDF, que, por sua incompetência, faz aumentar os índices de criminalidade em todos os níveis. Covarde é um governo que após quase dois anos e meio não foi capaz de sequer melhorar a situação do transporte público na cidade", diz a nota.

O partido diz ainda que nunca "transigiu com a corrupção e muito menos negociou o honroso mandato de suplente do deputado Augusto Carvalho na Câmara dos Deputados em troca de se calar diante das mazelas e da ineficiência do atual governo".

Leia abaixo as notas do GDF e do PPS-DF:

Governo do Distrito Federal

Respondendo a chamado do governador Agnelo Queiroz, o secretário de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano, Geraldo Magela, reassume hoje seu mandato de deputado federal. O cargo de secretário será ocupado interinamente pelo secretário-adjunto Rafael Oliveira. A articulação foi feita para melhorar a ação política do Governo do Distrito Federal no Congresso Nacional, dada a posição de covarde oposição assumida pelo PPS, partido do suplente Augusto Carvalho.

PPS

Nota Pública do Diretório do PPS no distrito Federal

Covarde é um governo que não respeita a população

A propósito de nota divulgada pelo Governo de Agnelo Queiroz classificando o PPS como “oposição covarde” e dando conta do retorno de Geraldo Magela à Câmara dos Deputados como forma de retaliar a legenda, a direção regional do partido vem a público repudiar este desrespeito.

1. O PPS-DF esclarece que, no primeiro semestre do ano passado decidiu se afastar da base desse governo por questões de princípio e de respeito à população do Distrito Federal, que já não suporta mais conviver com escândalos de corrupção, aparelhamento partidário da máquina do estado, incapacidade de gestão e, sobretudo, pela inegável incompetência do seu governador;

2. O PPS-DF nunca transigiu com a corrupção e muito menos negociou o honroso mandato de suplente do deputado Augusto Carvalho na Câmara dos Deputados em troca de se calar diante das mazelas e da ineficiência do atual governo;

3. O PPS-DF considera que a posição de deputado suplente é, antes de tudo, uma representação legítima dada pelos eleitores de Brasília ao partido, em virtude suas posições e pela história do deputado Augusto Carvalho. Frisa ainda que, nunca e em nenhum momento, a assunção desse legítimo direito poderia se converter em barganha para que nos calássemos diante dos maus feitos do governo Agnelo e de seus apaniguados.

O PPS-DF exige respeito com sua história de luta e com seus militantes e afirma que, covarde é um governo se omite diante da tragédia da saúde pública, onde mulheres dão à luz nos banheiros dos hospitais, onde morre gente por falta de atendimento, de equipamentos hospitalares e medicamentos.

Covarde é a atual gestão do PT frente ao GDF, que, por sua incompetência, faz aumentar os índices de criminalidades em todos os níveis. Covarde é um governo que após quase dois anos e meio não foi capaz de sequer melhorar a situação do transporte público na cidade.

O PPS do Distrito Federal repudia veementemente o uso exagerado e escarnecido do dinheiro público pelo governo do PT com propaganda, ao invés de cumprir com as promessas de campanha e construir  creches públicas, reformar  escolas e adotar políticas públicas que humanizem a cidade e melhorem a vida da população.

Finalmente, garantimos à população do Distrito Federal que o PPS vai seguir em frente, no seu papel de firme oposição, apontando as falhas e as contradições desse governo. Ao mesmo tempo, conclamamos as demais forças que se opõem ao governo a cerrar fileiras em busca de uma alternativa ética, mais saudável e, sobretudo,  democrática e republicana para o Distrito Federal.

Brasília, 12 de abril de 2013

Francisco Andrade
Presidente do PPS do Distrito Federal

Curta o Congresso em Foco no Facebook
Siga o Congresso em Foco no Twitter

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!