Contra impeachment, Pedro Paulo e filho de Cabral voltam à Câmara

Secretários do governador Luiz Fernando Pezão, os dois devem retomar o mandato de deputado para tentar barrar o impeachment e a destituição do líder, Leonardo Picciani

Leonel Rocha

O líder do PMDB na Câmara, Leonardo Picciani (RJ), vai tentar virar o jogo na bancada do seu partido que deu os primeiros sinais, nesta terça-feira (8), de que vai votar a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff. Picciani decidiu convocar, para reassumir os mandatos no Legislativo, os deputados licenciados Pedro Paulo (RJ), secretário da Coordenação de Governo da prefeitura do Rio de Janeiro, e Marco Antônio Cabral (RJ), que ocupa a secretaria de Esportes do Estado. Os dois devem retornar á Câmara nesta quarta-feira com o apoio do prefeito Eduardo Paes e do governador Pezão.

Pedro Paulo é o candidato do prefeito Eduardo Paes (PMDB) à sua sucessão na prefeitura do Rio. Marco Antônio é filho do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB). Cabral, Paes e Pezão são contra o impeachment.

Picciani também está ameaçado de perder a liderança. Parte da bancada do PMDB, com a ajuda de líderes de partidos de oposição, tenta destituí-lo do cargo. Para isso, um grupo recolhe assinaturas entre os deputados da legenda para exigir a troca do líder. A avaliação da ala governista é que a chegada de Pedro Paulo e Marco Antônio Cabral dará fôlego a Picciani, que é identificado com o Palácio do Planalto e já se declarou contra o impeachment.

Com a vitória da chapa 2 para a formação da comissão processante formada na Câmara para analisar o pedido de impeachment, nenhum dos nomes da bancada do PMDB indicados por Picciani permanecerá na comissão. O líder perdeu a conexão com a bancada.

Mais sobre impeachment

Mais sobre PMDB

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!