Ministro do Esporte admite não entender ‘profundamente’ da áerea

Indicação de George Hilton para a pasta foi criticada por atletas e pessoas da área. Na posse ontem no Palácio do Planalto ele chegou a ser vaiado por presentes na cerimônia

Contestado por atletas e pessoas da área, o novo ministro do Esporte, George Hilton, admitiu nesta sexta-feira (2) que não "entende profundamente" da área. Durante a transmissão do cargo, ele afirmou que pretende aumentar a parceria com o Ministério da Educação para consolidar a prática esportiva nas escolas. Na visão do titular da pasta, o esporte deixou de ser uma vitrine e se transformou em um meio de inclusão social que deve estar ao alcance de todos.

"Posso não entender profundamente de esporte, mas entendo de gente. Eu entendo de gente. Eu sei ouvir, sei dialogar, sei criar convergências entre opostos, usarei a capacidade de gestão e a política em favor do esporte brasileiro, com toda a minha energia", afirmou o ministro.

A indicação de Hilton, deputado federal pelo PRB de Minas Gerais, deixou os atletas e especialistas surpresos. A ONG Atletas pelo Brasil afirmou que a escolha escancara o caráter político do preenchimento da pasta. Na visão deles, Dilma “perdeu chance” de melhorar a área. Ontem, ao ser chamado para assinar o termo de posse, o novo ministro foi vaiado pelos presentes na cerimônia no Palácio do Planalto.

Ele nunca atuou nem apresentou qualquer proposta na área de política esportiva. Líder do PRB na Câmara, consta na sua biografia como profissão radialista, apresentador de televisão, teólogo e animador. Ele bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus.

Parceria

 

"Vou dar atenção especial ao esporte social, ao esporte de inclusão, ao esporte educacional e ao esporte comunitário. Quero intensificar a parceria com o Ministério da Educação para consolidar o programa Atleta na Escola", prometeu, em discurso durante a transmissão de cargo em Brasília. "Este é o caminho para o desenvolvimento sustentável do esporte brasileiro".

O novo ministro lembrou que o nascer da pasta, há 12 anos, não foi fácil e que o esporte é considerado por ele um setor historicamente relegado dentro do poder público. Uma das prioridades, segundo Hilton, será ampliar o debate no Congresso Nacional para a renovação da Lei de Incentivo ao Esporte, cujo prazo de validade se expira este ano.

"Atendi ao chamado da presidenta sabendo que é um grande desafio dar continuidade ao trabalho que vem sendo feito", disse. "Mas temos hoje altivo e consolidado um ministério exclusivo para representar os anseio da comunidade esportiva e conduzir políticas públicas no mundo do esporte", concluiu.

Copa do Mundo

Durante a cerimônia de transmissão de cargo no Ministério do Esporte, o ex-ministro Aldo Rebelo, que assume a Ciência e Tecnologia, exaltou a realização da Copa do Mundo de 2014 no país. "Precisamos vencer ceticismos, superar descrenças e contornar obstáculos", disse.

O ex-ministro destacou ações integradas nas áreas de segurança pública, mobilidade urbana, portos, aeroportos e saúde para que o torneio pudesse acontecer. Agradeceu o apoio dos governos estaduais e municipais na organização do evento.

Futuro ministro do Esporte nega irregularidades

Com informações da Agência Brasil

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!