Congresso em Foco completa dez anos de história

No dia em que comemoramos uma década no ar, destacamos algumas das nossas principais reportagens e reafirmamos o compromisso de promover, em parceria com o leitor, um jornalismo para mudar

Há exatos dez anos, a íntegra de um depoimento explosivo de um juiz preso acusado de vender sentenças marcava o lançamento do Congresso em Foco. Daquele 12 de fevereiro de 2004 para cá, não foram poucas as vezes em que este site, idealizado pelo jornalista Sylvio Costa, fez barulho. Conciliando a cobertura factual do noticiário político com a publicação de reportagens de fôlego, levantamentos exclusivos e um cardápio variado de articulistas e colaboradores, o Congresso em Foco completa nesta quarta-feira uma década de parceria com os seus fiéis leitores e incentivadores. Apenas nos dois últimos anos, mais de 8 milhões de visitantes acessaram nossas mais de 50 mil páginas.

Nesse período, muita coisa mudou na apresentação visual e no ritmo das publicações – inicialmente restritas a uma edição diária. O que não mudou foi nosso compromisso de levar até você informação de qualidade, sempre em busca da fidelidade aos fatos, e o entendimento de que jornalismo é também prestação de serviço. Hoje, o Congresso em Foco não é apenas um site independente e fiscalizador dos poderes, mas também um instrumento para aproximar os representados de seus representantes em Brasília.

Ao longo de dez anos, acumulamos, além dos principais prêmios jornalísticos brasileiros, citações nos mais diversos veículos de comunicação, inclusive estrangeiros, como The Economist, The New York Times, The Times, Washington Post e BBC.

Para comemorar a data, selecionamos dez reportagens e séries que fizeram história nesse período.

Levantamentos

Ainda em seus primeiros meses de existência, o Congresso em Foco foi pioneiro na imprensa brasileira ao publicar o primeiro levantamento sobre as investigações criminais contra deputados e senadores no Supremo Tribunal Federal (STF), o que se tornou uma das marcas do site e abriu caminho para a discussão que desaguou na criação da Lei da Ficha Limpa, válida desde as eleições de 2012. Na última pesquisa, divulgada em setembro do ano passado, 224 parlamentares respondiam a inquéritos ou ações penais no Supremo. Mais de um terço do Congresso.

Outros levantamentos também passaram a ser feitos periodicamente pelo site, como o da assiduidade e o do uso da cota parlamentar, sempre na tentativa de dar maior transparência à atuação de deputados e senadores.

Farra das passagens

Foi na busca permanente desse objetivo que o Congresso em Foco jogou luzes sobre uma antiga prática dos congressistas: a de viajar Brasil e mundo afora com familiares, amigos e cabos eleitorais às custas do contribuinte brasileiro. Em 2009, revelamos em uma série de reportagens a chamada farra das passagens. O uso indiscriminado e abusivo da cota de passagens aéreas alcançava parlamentares de todos os partidos, do presidente da Câmara à época até os congressistas menos conhecidos. Uma lista mostrou quem voou para o exterior na cota de cada deputado, numa mistura de benevolência com o dinheiro alheio e comércio ilegal de créditos aéreos.

Diante da repercussão do caso, a Mesa Diretora das duas Casas teve de rever as regras, proibindo o transporte de parentes e as viagens internacionais e restringindo o benefício a parlamentares e assessores. Na época, a economia anunciada com a mudança nas normas passava dos R$ 25 milhões. No ano passado, a Câmara também mudou o cotão após o site revelar o descontrole nos gastos com o aluguel de veículos pelos congressistas. Estabeleceu-se um teto para esse tipo de despesa.

Prêmios

A farra das passagens também rendeu prêmios ao Congresso em Foco: o Embratel, de melhor reportagem investigativa – o primeiro concedido, nessa categoria, a um veículo da internet; e o Esso, de melhor contribuição à imprensa. Ainda em 2009, o site conquistou, pelo segundo ano consecutivo, uma menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog, o mais tradicional de direitos humanos no país.

No ano anterior, uma reportagem que revelava o descaso das autoridades brasileiras com sobreviventes e familiares de um acidente que matou 14 catadores de feijão do Piauí, de um grupo de 79 trabalhadores mantidos em condições análogas à de escravo no interior da Bahia, foi classificada entre as melhores do ano pelo júri do Vladimir Herzog. O que voltou a se repetir no ano seguinte, com uma série de reportagens sobre o deputado padre Luiz Couto (PT-PB), ameaçado de morte pelo crime organizado e censurado pela Igreja Católica, por defender o uso do preservativo e o respeito aos homossexuais e criticar o celibato. Por causa das declarações ao site, o padre foi proibido de exercer o sacerdócio por um mês.

Supersalários

Em 2011, o Congresso em Foco começou outra série de reportagens que rende polêmica até hoje: a dos supersalários. Com base em auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU), à qual a reportagem teve acesso em primeira mão, quem eram e quanto realmente ganhavam os funcionários do Congresso com salários muito acima do permitido pela Constituição, superiores aos dos ministros do Supremo Tribunal Federal, hoje R$ 29 mil por mês.

O site ainda mostrou o problema entre parlamentares e também no Poder Executivo, no Judiciário e nos estados. As listas publicadas provocaram a reação de um grupo de servidores. Uma ofensiva judicial do sindicato dos funcionários do Congresso tentou obter R$ 1 milhão em indenizações por meio de 50 processos. Mas o Congresso em Foco ganhou todos os casos julgados – só restam três ações cíveis.

No final do ano passado, por ordem do Tribunal de Contas da União, a Câmara e o Senado cortaram os salários recebidos além do permitido. Por causa da Lei de Acesso à Informação, esses dados passaram a ser públicos e divulgados, ainda que com algumas limitações, nas páginas das duas casas legislativas.

Além do site

Nos últimos dez anos, o Congresso em Foco tornou-se mais que um site. Pulou também para as páginas de uma revista impressa, bimestral. Em circulação desde novembro de 2011, a Revista Congresso em Foco traz reportagens exclusivas e de fôlego sobre política, cultura, direitos humanos e outros assuntos que mexem com a vida do brasileiro.

Desde 2006, promove anualmente o Prêmio Congresso em Foco, que distingue com o voto de jornalistas que cobrem o Parlamento e dos internautas, os parlamentares que melhor representam a população. Uma iniciativa que tem o propósito de discutir a atuação de cada parlamentar e obrigar o leitor a refletir, enxergar as diferenças entre eles, estimular aqueles que se destacam de maneira positiva e combater o discurso nocivo à democracia de que todos são igualmente ruins.

O Congresso em Foco ainda produziu outros trabalhos importantes para compreender a política brasileira, como o livro O que esperar do novo Congresso: perfil e agenda da legislatura, lançado em 2007, em parceria com o Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap).

Muito obrigado

Atento às mudanças por que passa a comunicação, o Congresso em Foco está presente nas redes sociais e comprometido com o público, não como mero receptor de informações, mas como um parceiro para captar a realidade e melhor avaliá-la.

Mudanças que só reforçam os princípios que norteiam nossa caminhada de fazer uma cobertura apartidária do Congresso Nacional e dos principais fatos políticos para auxiliar o (e)leitor a acompanhar o desempenho dos representantes eleitos, contribuindo para melhorar a qualidade da representação política no país. É nossa missão usar as melhores técnicas e ferramentas do jornalismo a serviço da mudança.

Por isso, o nosso lema é “jornalismo para mudar”. Por todos estes dez anos de parceria e confiança, nosso muito obrigado a você, leitor.

Um abraço da equipe do Congresso em Foco.

Nosso jornalismo precisa da sua assinatura

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!