Comissão da Câmara aprova convite a acusador de ministro

Policial militar João Dias Ferreira pode comparecer na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle nesta quinta-feira (20). Motorista também irá depor

A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle (CFFC) aprovou nesta quarta-feira (19) convite para o policial militar João Dias Ferreira comparecer à Câmara para explicar as denúncias recentes de irregularidades no programa Segundo Tempo, do Ministério do Esporte. De acordo com líderes oposicionistas, ele deve participar de uma audiência pública amanhã (20). "João Dias vem amanhã à Câmara elucidar o esquema de corrupção de Orlando", afirmou o líder do DEM, ACM Neto (BA).

Na mesma sessão, foi aprovado outro requerimento. Também participará de uma audiência o motorista Célio Soares Pereira. Filiado ao PCdoB, mesmo partido do ministro Orlando Silva, João Dias é responsável pela Federação Brasiliense de Kung Fu e pela Associação João Dias de Kung Fu, organizações não governamentais (ONGs) com as quais o ministério firmou dois convênios. De acordo com o PM, o titular da pasta se beneficiava dos desvios de verba do Segundo Tempo.

"O Brasil ficará estarrecido com esse esquema nojento montado no Ministério do Esporte", disse o deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO). Ontem, em visita à liderança do PSDB no Senado, o PM disse ter mais provas contra o ministro do Esporte e que em breve todo mundo saberá quem é quem neste caso. Ele afirmou existirem mais de 300 caixas-pretas que precisam ser abertas para que todos conheçam a verdade. No mesmo dia, ele deveria ter prestado depoimento na Polícia Federal, mas não compareceu com o argumento de que não estava bem de saúde.

Ontem, em audiência pública de duas comissões na Câmara, o ministro do Esporte disse que seu principal acusador não tem provas para apresentar. Silva afirmou ter autorizado a quebra dos sigilos bancário e telefônico para futuras investigações. “Ele não provou porque não tem provas, quem tem provas do malfeito sou eu”, devolveu Orlando Silva. Na reunião, o comunista qualificou Ferreira como “desqualificado”, “criminoso”, “fonte bandida”.

“Quem tem provas do malfeito sou eu”, diz ministro

PM que delatou ministro poderá ter proteção ser for à PF

Continuar lendo