Comissão chama Sérgio Machado e ex-AGU de Temer para explicar tentativa de “abafa” na Lava Jato

Ex-presidente da Transpetro e o ex-advogado-geral da União Fábio Medina Osório são convidados na Câmara para esclarecer declarações sobre tentativa do governo de tentar conter investigações

 

 

 

A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara aprovou, nesta quinta-feira (6), convites para que o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado e o ex-chefe da Advocacia Geral da União Fábio Medina Osório compareçam ao colegiado para explicar declarações de que o governo Michel Temer tentou “abafar” a Operação Lava Jato. Os convites foram propostos pelo deputado Adelmo Carneiro Leão (PT-MG), mas enfrentavam resistência de deputados da base governista.

O ex-ministro da AGU disse, em entrevista à revista Veja, logo após ser demitido por Temer, que o “governo quer abafar a Lava Jato” e que “tem muito receio de até onde as investigações possam chegar”. Fábio Medina, que caiu após atrito com o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, contou que sua demissão ocorreu porque ele pediu que as "empreiteiras envolvidas no esquema de corrupção na Petrobras devolvessem dinheiro aos cofres públicos".

A comissão quer ouvir Sérgio Machado, um dos delatores da Lava Jato, a respeito de um diálogo que ele teve com o senador Romero Jucá (PMDB-RR). Na conversa, gravada pelo próprio ex-presidente da Transpetro, Jucá afirma, semanas antes da abertura do processo de impeachment de Dilma, que era necessária uma “mudança” no governo federal para “estancar a sangria” da Lava Jato. A revelação da conversa resultou na saída do peemedebista do Ministério da Previdência, dois dias após sua posse.

"Nós queremos saber detalhes e informações sobre o que está acontecendo em nosso país, em cada uma das regiões, na Petrobras e na administração pública. Esse trabalho convocando as pessoas para debater na comissão é para esclarecer a realidade desse País, saber como está sendo tratado o Estado Democrático de Direito", defendeu Adelmo Carneiro Leão.

Por ser um convite, Fábio Medina Osório e Sérgio Machado não são obrigados a comparecer à comissão. Caso eles confirmem presença, caberá à Câmara definir as datas dos depoimentos.

Mais sobre a Operação Lava Jato

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!