Com R$ 1,7 bilhão para 2018, um em cada três partidos tem conta reprovada pelo TSE

 

Um em cada três partidos políticos teve sua prestação de conta reprovada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). No total, as reprovações envolvem nove partidos e representa o segundo pior resultado desde 2000, conforme aponta o jornal O Globo deste domingo (15). As contas julgadas este ano referem-se a 2011 e só perdem, em número de reprovados, para 2003, quando 12 siglas tiveram rejeição parcial ou total de suas contas.

De acordo com a reportagem, o PT, PSDB, PR, PPS, PCB, PCO, PRTB, PSL e PTN não conseguiram provar a lisura de suas finanças, de um total de 29 prestações de conta analisadas pelo tribunal. Apesar das reprovações, as legendas serão beneficiadas com o fundo eleitoral criado na reforma política aprovada este mês e estimado em R$ 1,7 bilhão para as campanhas de 2018.

<< Leia a reportagem do O Globo na íntegra

Entre as diversas irregularidades, estão a apresentação de notas fiscais incompletas, suspeitas de desvios, uso de verba do fundo partidário para o pagamento de empresas de dirigentes das siglas por supostos serviços prestados ao partido, compra de vinhos e até reforma em residência de presidente de legenda, conforme revela a jornalista Silvia Amorim.

De acordo com lei eleitoral,  os partidos são obrigados a apresentar todo ano a prestação de contas sobre o uso do fundo partidário, além de informar contabilidade de campanha em ano eleitoral.

“Em 2011, ano em que nove siglas tiveram contas rejeitadas, o total de recursos públicos geridos pelos partidos foi de R$ 265 milhões. O montante equivale a 10% do que eles terão em 2018 — R$ 900 milhões do fundo partidário e R$ 1,7 bilhão do fundo eleitoral, este exclusivo para as campanhas”, diz trecho da reportagem.

<< Partidos querem dinheiro público para bancar multas aplicadas pelo TSE

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!