Com MPs na pauta, Câmara adia projeto antidrogas

Com quatro medidas provisórias próximas de perder a validade, Câmara deixa a análise de outras propostas para a próxima semana. Presidente da Câmara acredita em acordo

Com quatro medidas provisórias próximas de perder da validade, a Câmara adiou para a próxima semana a votação do projeto que endurece a política antidrogas brasileira. Apesar de as discussões entre governo e deputados estar avançada, ainda falta consenso em alguns trechos. Mesmo assim, o presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), acredita que o debate "avançou muito".

"Nós temos quatro medidas provisórias para votar até amanhã. Os prazos, elas [as MPs] caducam, nós temos que votar de qualquer maneira. A pauta ficou toda para semana que vem", afirmou o peemedebista antes de entrar em plenário para comandar a sessão da noite desta terça-feira (7). Inicialmente, o texto seria votado amanhã (8).

Governo e deputados integrantes da comissão que analisa o projeto já acordaram boa parte do texto. Porém, não ocorreu acordo no tamanho da pena a traficantes. O Ministério da Justiça defende apenas o aumento da punição para grandes traficantes. Já deputados querem um acréscimo para todos que forem presos por tráfico de drogas.

Na semana passada, Henrique Alves disse que só colocaria o texto em votação se houvesse acordo entre governo e deputados. Hoje, mostrou-se otimista. Disse que o projeto está bem acordado, avançou muito, está bem acordada a questão das drogas".

Veja também:

Pena para traficantes emperra projeto antidrogas
Tempo da internação obrigatória deve diminuir

Tudo sobre drogas

Continuar lendo