Estamos mudando o site. Participe enviando seus comentários por aqui.

Com humor habitual, CQC exibe Prêmio Congresso em Foco

Foi ao ar há pouco, pela TV Bandeirantes, a reportagem sobre a terceira edição do Prêmio Congresso em Foco produzida pelo programa CQC (Custe o Que Custar), que mistura humor e política de uma forma apimentada. Responsável pela cobertura, o repórter Rafael Cortez “incomodou” convidados e parlamentares premiados que, entre a desconfiança e a receptividade, entraram na brincadeira.

“Sejam bem-vindos, paladinos da Justiça”, declamava Rafael a todos os convidados que chegavam à sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), onde foi realizada a solenidade de premiação. O detalhe é que a frase era a primeira de um texto decorado que, não se sabe por que razão, o “repórter-humorista” não conseguia decorar.

“Aos parlamentares que estão fazendo sucesso, para a honestidade do Brasil, um brinde”, exortou Rafael, em uma mesa de convidados que, providencialmente, estava sem congressistas e respondeu à conclamação. “Agora um brinde à grande produtividade do Congresso Nacional em 2008”, emendou. Dessa vez ninguém quis brindar.

Clique na imagem para assistir ao vídeo:

Um dos premiados por seu papel de combate à corrupção, o senador Pedro Simon (PMDB-RS) respondeu com desenvoltura à delicada pergunta da reportagem do CQC. “O senhor foi escolhido o parlamentar que melhor combate a corrupção”, interpelou Rafael, diante de um sisudo congressista. “E quem é o parlamentar que melhor patrocina a corrupção?”, fustigou o repórter, surpreendido pela reposta diplomática.

“Não sei. Se soubesse não diria, pois não tenho como provar”, rebateu Simon, com surpreendente tranqüilidade, ele que é considerado por seus pares “uma referência ética” no Parlamento. 

O CQC surpreendeu o presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), logo na entrada do elevador que levava os convidados à cobertura do prédio, onde aconteceu uma confraternização regada aos batuques do grupo paulistano Samba de Rainha (leia aqui e aqui) e às picapes do DJ Barata. “Hoje à noite você viu o lado bom do Congresso”, disse Garibaldi. “Vi que tem uma moça muito bonita ali... acho que o lado bom é ela”, zombou Rafael.

A certa altura da festa, Rafael entrevistava o deputado Maurício Rands (PT-PE) quando experimentou do mesmo veneno – a fina ironia. "Cadê meu uísque?", indagou Rands, segurando uma taça de cerveja e interpelando um garçom que passava diante da câmera. "Mas traga um para o CQC." Percebendo a descontração do deputado, Rafael emendou: "Um [uísque] 12 anos, por favor", disse o repórter, no que foi prontamente rebatido pelo garçom. "Vou trazer um 24."  

A ter como referência o perfil do CQC, bem que poderia ter sido veiculada a entrevista em que, em uma inversão de papéis, Rafael Cortez foi enquadrado pelo site e, “do outro lado” do microfone, falou sobre a experiência em cobrir o Prêmio. “Aprendi com você”, devolveu gentilmente a provocação Rafael, respondendo se estava acostumado a “dar furos”. De reportagem. (Fábio Góis)

Confira aqui a entrevista com Marcelo Tas, o “comandante” do CQC

Continuar lendo