Arrecadação no orçamento aumentará R$ 23 bilhões para 2013

Comissão Mista de Orçamento aprovou reestimativa da receita orçamentária para o próximo ano. Maior parte da verba será usada para emendas parlamentares

A Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso aprovou nesta quarta-feira (31) reestimativa de arrecadação para 2013. De acordo com o relatório de receitas apresentado hoje, haverá R$ 23,8 bilhões a mais para gastos no próximo ano. Os parlamentares justificaram o reajuste por uma aposta no "crescimento econômico e no aumento da massa salarial".

Pelo relatório apresentado pelo deputado Cláudio Puty (PT-SP), a maior parte do montante será destinado aos parlamentares para usarem em emendas parlamentares. O valor chega a R$ 22 bilhões. Dentro deste montante também haverá compensações aos estados pelas perdas da Lei Kandir, que isenta de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) os produtos destinados à exportação.

Na Lei Orçamentária Anual de 2012, aprovada no ano passado, cada parlamentar teve direito até a R$ 15 milhões em emendas. No entanto, boa parte reclama da baixa execução. Em especial, deputados e senadores da oposição, cujas sugestões não chegam nem a ser empenhadas, quando o valor é confirmado mas ainda não foi pago. No primeiro semestre, a base aliada causou sustos a Dilma Rousseff pela demora em liberar os valores.

A crise de Dilma com a base, em 12 capítulos
Tudo sobre a crise com a base

De acordo com Puty, as receitas federais devem chegar a R$ 1,25 trilhão em 2013. No relatório, ele manteve a previsão de crescimento de 4,5% para o próximo ano. Mas diminuiu a previsão para 2012 de 3% para 2%. A justificativa foi a queda do Produto Interno Bruto (PIB) em R$ 40 bilhões. Isso não deve se repetir nos próximos 12 meses devido ao aquecimento da economia.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!