Chico Buarque discursa contra o impeachment no Rio de Janeiro

“Estou aqui para agradecer a vocês que me animam a acreditar que não, de novo não. Não vai ter golpe”, discursou o artista no Largo da Carioca, região central do Rio de Janeiro

O cantor e compositor Chico Buarque foi um dos artistas que se manifestaram nesta quinta-feira (31) contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff, e o classificou como “golpe” de setores da política nacional. Um dos mais notórios defensores do petismo na classe artística, Chico falou em defesa “intransigente da democracia” e lembrou do golpe militar de 52 anos atrás, em 31 de março de 1964 – a partir de quando se instalou a ditadura militar pelos 21 anos subsequentes.

“Estou aqui para agradecer a vocês que me animam a acreditar que não, de novo não. Não vai ter golpe”, discursou o artista, em palco montado no Largo da Carioca, no centro do Rio de Janeiro.

Assista a um trecho do discurso no vídeo abaixo:

 

Como este site reportou mais cedo, as manifestações desta quinta-feira são realizadas 13 dias depois das mais recentes manifestações nacionais pró-governo. No alvo dos protestos, o que os manifestantes classificaram como os artífices do “golpe” – entre os quais o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ); o juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância; a oposição e o senador Aécio Neves (MG), presidente nacional do PSDB; ao vice-presidente da República, Michel Temer, acusado por governistas de conspiração; e a Rede Globo, grupo de comunicação que, segundo os defensores do governo e do PT, faz campanha midiática contra gestões e representantes petistas e da esquerda.

Os atos de apoio a Dilma e ao ex-presidente Lula – que hoje obteve uma vitória no Supremo Tribunal Federal (STF) – foram realizados em todo os estados e no Distrito Federal, promovidos por entidades como a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Frente Brasil Popular (FBP), a União Nacional dos Estudantes e a Frente Nacional de Luta (FNL). Ao todo, de acordo com órgãos de segurança pública, quase 160 mil pessoas foram às ruas contra o impeachment. Já os organizadores dizem que esse número chegou a cerca de 825 mil em todo o país. A mobilização nacional ganhou o nome de Jornada Nacional de Lutas, liderada pela FBP e pela Frente Povo Sem Medo.

Mais sobre o Brasil nas ruas

Mais sobre o impeachment

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!