Cerveró recebeu suborno de US$ 300 mil, indicam procuradores suíços

De acordo com o documento dos procuradores enviado às autoridades brasileiras, Cerveró recebeu recursos da ordem de US$ 675 no período de uma 'potencial fornecedora da Petrobras', mas apenas US$ 300 mil foram tratadas como pagamento de propina

Procuradores da Suíça que auxiliam nas investigações da operação Lava Jato enviaram comunicado às autoridades brasileiras relatando que o ex-diretor da área internacional da Petrobras Nestor Cerveró recebeu suborno de US$ 300 mil de uma “potencial fornecedora da Petrobras” em maio de 2009. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

De acordo com o documento, Cerveró recebeu recursos da ordem de US$ 675 no período, mas apenas US$ 300 mil foram tratados como pagamento de propina. “A transferência para a conta de Cerveró foi feita por Alexandre Amaral de Moura, dono da Comtex Indústria e Comércio, que fabrica câmeras e equipamentos de vigilância, segundo os suíços”, informa a Folha.

Cerveró está preso desde janeiro sob a acusação de ter recebido propina em contratos da estatal. Ele também é acusado do crime de lavagem de dinheiro. No período investigado pelos procuradores suíços, Cerveró estava à frente da BR Distribuidora. Ele foi demitido da BR apenas após as investigações da Operação Lava Jato.

Confira a matéria na íntegra

Saiba mais sobre a operação Lava Jato

Continuar lendo