Cerca de 65% dos recursos foram julgados, diz Cármen Lúcia

Presidenta do TSE garante que todos os casos que poderiam influenciar no segundo turno tiveram decisão da corte. Contestações incluem registros indeferidos e outras situações eleitorais

A presidenta do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Cármen Lúcia, garantiu neste domingo (28) que os processos que poderiam influenciar o segundo turno foram analisados pela corte eleitoral. Dos aproximadamente 8 mil recursos apresentados, o tribunal estima que 65% tiveram algum tipo de decisão, seja monocrática ou pelo plenário. "Houve um empenho, da nossa parte, para que neste primeiro momento tivéssemos pelo menos uma decisão de mérito aos casos de quem de alguma forma participava no segundo turno", afirmou. Nestes recursos, entram todos os pedidos de registro, sejam baseados na Lei da Ficha Limpa ou não.

Tudo sobre as eleições de 2012
Tudo sobre a Lei da Ficha Limpa

Ao fazer um balanço do segundo turno, Cármen ressaltou que a expectativa de corte é que todos sejam analisados até o período da diplomação. A cerimônia com os eleitos deve ocorrer até 19 de dezembro, com cada tribunal regional marcando a sua data. De acordo com a presidenta do TSE, existe a possibilidade de sessões extraordinárias serem marcadas. Isto, no entanto, depende dos outros integrantes da corte eleitoral. "Se tiver necessidade, se os ministros liberarem, nós faremos isso. Acho que é necessário que eventualmente sessões extras ocorram", disse.

Cármen Lúcia: TSE esgotou dúvidas sobre barrados
Eleições municipais acontecem sub júdice

Cármen Lúcia entende, no entanto, que a sociedade espera uma resposta antes da diplomação. No entanto, ela demonstrou uma preocupação com o aumento na abstenção dos eleitores entre primeiro e segundo turno. Na primeira disputa, a taxa ficou na faixa dos 16%. Hoje, chegou aos 19%. "Cabe agora aos órgãos da Justiçca Eleitoral e, especialmente, aos especialistas como cientistas políticos a análise. Toda abstenção não é boa, é sim preocupante", opinou.

Tarde de domingo

De acordo com a presidenta do TSE, a cidade que apresentou o resultado com maior rapidez foi Vitória (ES). Na capital capixaba, a apuração durou 44 minutos. Já o estado que teve a maior velocidade foi Mato Grosso. Cármen Lúcia disse que, mesmo contando a diferença de uma hora por causa do horário de verão de Cuiabá a Brasília, a capital matogrossense foi mais veloz.

A ministra qualificou o segundo turno como uma "conversa em uma tarde de domingo". Para ela, a eleição ocorreu em uma "situação de absoluta tranquilidade". "Esses processos são cada vez mais comuns. É um ganho histórico para a nossa história brasileira", afirmou.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!