Novo presidente da Ceagesp defendeu ação diferenciada da PM em bairro rico

O ex-comandante da polícia militar Ricardo Augusto Nascimento de Mello Araújo foi indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para assumir o comando da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), maior centro de abastecimento da América Latina. A indicação, ocorrida na semana passada, foi comemorada em vídeo pelo presidente nesta quarta-feira (28).

Mello Araújo já foi comandante das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (ROTA), tropa considerada de elite dentro da polícia militar paulista, entre 2017 e 2019. Em entrevista ao portal UOL em 2017, Mello Araújo disse que os policiais que comandou deviam ter atitudes diferentes ao agir em bairros ricos e pobres. Tal discriminação é vedada pela Constituição.

"É uma outra realidade. São pessoas diferentes que transitam por lá. A forma dele abordar tem que ser diferente. Se ele for abordar uma pessoa [na periferia], da mesma forma que ele for abordar uma pessoa aqui nos Jardins, ele vai ter dificuldade", disse ao portal de notícias, referindo-se ao bairro nobre de São Paulo. "Ele não vai ser respeitado."

O grupamento, responsável por ações de repressão ao crime, é também a mais letal da corporação: dados coletados pela Ponte Jornalismo mostram que os policiais do batalhão mataram 1.222 pessoas em troca de tiros desde 2000 – média superior a um assassinato por semana, a maioria envolvendo jovens, negros e moradores de áreas periféricas.

No vídeo onde Bolsonaro exalta a nova direção da Ceagesp e diz que a indicação tem sua confiança."Acreditem, a indicação é pessoal minha, e dessa forma a Ceagesp vai resgatar tudo aquilo que perdeu no passado", disse o presidente. A estatal na zona oeste de São Paulo, entretanto, não deve permanecer sob o guarda-chuva do governo – já que está incluída no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) do governo federal.

Congresso em Foco questionou a Mello Araújo se pretende abordar as táticas da ROTA, conhecida nas periferias pela sua truculência, na Ceagesp. Segundo o coronel reformado a missão do batalhão é "prestar serviços de alto nível de profissionalismo e qualidade, para garantir a segurança e tranquilidade da sociedade paulista", e desta forma a a intenção é aplicar a mesma filosofia da ROTA  na Ceagesp, "para prestar o melhor serviço possível a todos que trabalham e dependem das atividades no local."

O coronel foi questionado se a Ceagesp se valeria do mesmo tratamento diferenciado que ele defendeu durante seus tempos de policial–e como isso ocorreria num entreposto localizado entre bairros de alto padrão e favelas, e que recebe diariamente pessoas destes locais. O ex-policial militar não aparentou ter revisto seu entendimento de três anos atrás.

"O que fazemos é uma adequação da nossa linguagem e da maneira como nos aproximamos de cada público para facilitar a abordagem e garantir o entendimento da nossa mensagem por todos", escreveu Mello Araújo em resposta à reportagem. "Costumo exemplificar que, se uma pessoa vai dar uma palestra para médicos, ela utilizará a linguagem médica e fará uso dos termos técnicos utilizados por esses profissionais. Se a mesma palestra for dada para um público leigo, terá que fazer algumas adaptações na linguagem para que o conteúdo seja transmitido e compreendido. O mesmo acontece com a abordagem policial: adequamos a linguagem de acordo com o público", concluiu.


>Senador Telmário Mota chama jornalista sequestrado de “bandido”
> Heleno diz que Abin monitorou “maus brasileiros” em conferência do clima

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!