Cármen Lúcia não vê urgência em pedido de Temer para acessar áudios de Joesley

 

No plantão do Supremo Tribunal Federal (STF), a presidente da Corte, Cármen Lúcia, negou um dos pedidos de urgência impetrados pela defesa do presidente Michel Temer. Os advogados do peemedebistas já fizeram dois pedidos ao Supremo para acessar os sete áudios recuperados do gravador do empresário Joesley Batista.

PF conclui que não houve edição em áudio de conversa entre Michel Temer e Joesley Batista

A defesa já havia apresentado pedido ao relator do inquérito, o ministro Edson Fachin, no fim do mês de junho. Com o recesso do Judiciário, um novo pedido foi feito à Cármen Lúcia. A urgência apontada pela defesa cita a proximidade da votação da denúncia contra Temer na Câmara, prevista para 2 de agosto.

Entre as justificativas para negar o pedido, a presidente da Corte afirma que Fachin voltará antes da análise e que a data marcada na Câmara é “uma possibilidade, não uma certeza da concretização”, uma vez que o calendário da Casa está sujeito a alterações. Ela ainda lembra que Fachin decidiu ouvir o procurador-geral da República antes de decidir.

Leia mais: Defesa de Temer pede suspensão do depoimento até conclusão da perícia em áudio gravado por Joesley


Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!