Cardozo promete rigor contra tráfico de pessoas no Distrito Federal

Operação da Polícia Federal resgatou operários trazidos de maneira ilegal de Bangladesh para trabalhar em obras em Samambaia. Há suspeita de que eles tenham atuado em obras do Minha Casa, Minha Vida, do governo federal

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou nesta quarta-feira (15) que o governo agirá com rigor para punir os envolvidos com o esquema de tráfico de pessoas para trabalhar em obras da construção civil no Distrito Federal. Policiais suspeitam que os estrangeiros tenham atuado em obras do Minha Casa, Minha Vida, um dos principais programas do governo Dilma. "Situações de tráfico de pessoas são absolutamente intoleráveis e nós vamos agir no rigor da lei", disse o ministro.

Deflagrada nesta manhã pela Polícia Federal, a Operação Liberdade descobriu que trabalhadores vindos de Bangladesh, na Ásia, eram recrutados para trabalhar ilegalmente num canteiro de obras em Samambaia, a 35 Km do centro de Brasília. A quadrilha aliciava os trabalhadores com falsas promessas de salário de US$ 1 mil a US$ 1.500 e cobravam até US$ 10 mil pela imigração ilegal. Os aliciados entravam no Brasil ilegalmente via Peru, Guiana Inglesa e Bolívia. Os policiais cumprem 14 mandados de busca e apreensão.

José Eduardo Cardozo não quis entrar em detalhes sobre a operação e evitou comentar a suspeita de que os trabalhadores tenham atuado no programa federal. Ele disse que ainda receberá o relatório da operação, mas classificou a iniciativa como "muito importante". "É uma operação muito importante que vai na linha do que nós temos feito até agora, ou seja, investigar o tráfico de pessoas e evidentemente nós estamos agindo dentro daquilo que está dado", declarou.

Para o ministro, a discussão sobre o tema na sociedade tem crescido e isso facilita o trabalho das polícias e da Justiça. "A grande dificuldade que nós tínhamos era justamente chegar a situações de denúncia. Ele é um crime subterrâneo. O fato de esse tema ter sido pautado socialmente faz com que as pessoas se sintam mais animadas a informar, a denunciar", disse. O tráfico de pessoas ganhou maior projeção nacional nos últimos meses após ser retratado na novela Salve Jorge, da TV Globo.

O presidente da CPI da Câmara que investiga o tráfico de pessoas, Arnaldo Jordy (MD-PA), informou que irá apresentar um pedido de convocação dos suspeitos de participação neste caso.

Além de eventuais empreiteiros envolvidos no negócio, o presidente da CPI pretende chamar autoridades do governo federal, caso se confirme a informação de que os estrangeiros trabalhariam em obras do Minha Casa Minha Vida – programa conduzido pelo Ministério das Cidades.

"Chama a atenção da CPI o fato de estas pessoas serem recrutadas na Ásia, já que até o momento tínhamos registros apenas de trabalhadores traficados de países vizinhos ao Brasil e no Haiti para serem explorados por aqui. A construção civil e a indústria têxtil figuram na lista dos setores que foram flagrados explorando a mão de obra estrangeira", disse Jordy em nota.

Continuar lendo