Candidatos ao governo do DF usam debate para trocar acusações

Arruda foi o mais questionado sobre sua candidatura. A condenação do candidato do PR por envolvimento no mensalão do DEM motivou troca de acusações em debate entre os cinco principais candidatos

Os candidatos ao governo do Distrito Federal usaram o debate promovido nesta segunda-feira (25) pelo UOL, Folha de S. Paulo, Jovem Pan e pelo SBT mais para trocar farpas e acusações do que apresentar propostas.

O candidato Toninho, do Psol, acusou o deputado federal Luiz Pitiman (PSDB) de sair em defesa do ex-governador do DF José Roberto Arruda (PR). O tucano rebateu dizendo que Toninho estava na disputa para auxiliar o atual governador, Agnelo Queiroz (PT), candidato à reeleição.

Toninho acusou Pitiman de querer transformar o Distrito Federal "em uma grande empresa". E acrescentou: "Candidato Pitiman, você realmente é um político do passado. Você faz parte dos setores de extrema direita que querem voltar ao poder de toda forma para poder enriquecer mais”. O tucano revidou dizendo que Toninho “quer transformar o Estado com autoridade da esquerda radical”.

Condenado por envolvimento no mensalão do DEM, José Roberto Arruda foi alvo frequente das críticas. Repetiu que foi vítima de um golpe para tirá-lo do poder.

"Foi o DEM, depois o [Joaquim] Roriz, agora sou eu o responsável pelo golpe. Golpe foi desestabilizar toda a área administrativa da nossa cidade", rebateu Agnelo Queiroz .

Arruda então respondeu ao ataque: "Você [Agnelo] está desesperado porque, se o golpe deu certo e você conseguiu ganhar por WO, agora está trêmulo. Está olhando pro espelho. Devolveu dinheiro que recebeu de propina. Está lembrando da CPI do Cachoeira e da sua relação com ele ou da casa que você comprou. Mas estou aqui para falar sobre propostas".

Questionado por Toninho sobre o que pretendia fazer em relação à rejeição de sua candidatura pela Justiça eleitoral, Arruda insinuou ligação da ex-deputada federal Maninha (Psol) com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Ela é mulher do candidato do Psol.

“A mentira não pode prosperar. Atitude fascista do Arruda (...) ao falar  sobre a Maninha e uma possível vinculação com as Farc. Eu não sou ficha suja nem fui cassado do governo por corrupção. Você [Arruda], sim", disse o candidato do Psol. O senador Rodrigo Rollemberg (PSB) também participou do debate.

 

Mais sobre eleições 2014

Assine a Revista Congresso em Foco em versão digital ou impressa

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!