Câmara aprova aumento para servidores públicos

Vinte e três carreiras terão os salários reajustados de forma escalonada nos próximos três anos. Impacto orçamentário será de R$ 624,9 milhões em 2013

A Câmara aprovou hoje (6) aumento salarial para 23 diferentes carreiras de servidores públicos federais. De acordo com a proposta, que segue para análise do Senado, o reajuste total é de 15,8%, dividido em três anos. Ontem (5), os deputados aumentaram o teto do funcionalismo para R$ 28 mil, valor do subsídio dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

De acordo com o Ministério do Planejamento, o custo dos reajustes aos servidores públicos é de R$ 624,8 milhões em 2013, de R$ 1 bilhão em 2014, e de R$ 1,6 bilhão em 2015. A proposta beneficia, entre outros, diplomatas, procuradores federais, defensores públicos da União, agentes de inteligência e delegados de Polícia Federal. O texto faz parte de um pacote de propostas enviadas pelo governo ao Congresso com o objetivo de rever salários do funcionalismo.

Leia a íntegra da proposta

"As medidas propostas buscam suprir demanda da Administração Pública Federal por pessoal especializado e proporcionar aos servidores a valorização de suas remunerações. O objetivo é atrair e reter profissionais de alto nível de qualificação, compatíveis com a natureza e o grau de complexidade das atribuições das carreiras objeto da proposta", disse a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, na justificativa do projeto.

Assim como a proposta que aumentou o teto do funcionalismo público ontem, os deputados aprovaram o texto de forma rápida, sem discussão. A partir de janeiro, o teto passa de R$ 26.723,13 para R$ 28.059,29, que será o novo salário dos ministros do STF e do procurador geral da República. Em 2014, o subsídio deles será de R$ 29.462,25 por mês. Em 2015, de R$ 30.935,36 mensais.

Saiba mais sobre o Congresso em Foco (2 minutos em vídeo)

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!