CEF pede desculpas por boatos do Bolsa Família

Jorge Hereda, presidente da CEF, instituição responsável pelos pagamentos, disse que informações circularam com "imprecisão". Onze dias depois dos saques, instituição reconhece problema

Em entrevista coletiva realizada há pouco, o presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Jorge Hereda, contrariou a versão do governo sobre eventuais boatos a respeito do fim do Bolsa Família, principal programa assistencial do governo federal. Ele pediu desculpas pelas informações divulgadas inicialmente. No fim da semana passada, a CEF garantiu que o cronograma de saques estava correto.

"Peço desculpa pela nossa primeira manifestação. Essa imprecisão só se justifica pelo momento em que estávamos vivendo", disse Hereda. Em nota divulgada na sexta (24), o banco disse que "diversas melhorias" foram realizadas no Cadastro de Informações Sociais (CIS). Por isso, o benefício ficou disponível para o saque para todos os atingidos pelo programa na sexta (17).

Além do pedido de desculpas, Hereda também rejeitou a possibilidade de existir um ataque ao programa. “Não posso dizer que houve boato para atacar o programa. Não seremos levianos e fazer essa afirmação”, afirmou o presidente da Caixa.

No dia 18 de maio, milhares de beneficiários do programa correram às agências da CEF em todo o país para sacar o benefício após serem informados de que o Bolsa Família seria encerrado pelo governo. Dois dias depois, a ministra da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário, escreveu no twitter que a oposição era a responsável pela informação falsa. “Boatos sobre fim do bolsa família deve ser da central de notícias da oposição. Revela posição ou desejo de quem nunca valorizou a política”, disse a ministra.

A oposição na Câmara reagiu às declarações e apresentou requerimento de convocação da ministra para que ela explique as declarações. Por sua vez, a presidente Dilma Rousseff classificou o “autor” dos boatos como “desumano e criminoso”. “Por isso nós colocamos a Polícia Federal para descobrir a origem de um boato que tinha por objetivo levar a intranquilidade aos milhões de brasileiros que nos últimos dez anos estão saindo da pobreza extrema”, afirmou Dilma.

Imprecisão

Na coletiva, o presidente da CEF também admitiu “imprecisão” sobre a data em que o sistema da Caixa estava liberado para o saque do benefício e destacou que desde a sexta-feira  passada é possível retirar a ajuda. "Peço desculpa pela nossa primeira manifestação, essa imprecisão só se justifica pelo momento em que estávamos vivendo", ponderou Hereda. “Historicamente, ninguém sai correndo para pegar Bolsa Família no 1º dia”, complementou.

De acordo com Hereda, a instituição não se manifestou antes formalmente por "não ter todas as informações". Ele informou que a abertura do sistema começou às 6h de 17 de maio. Como a abertura não estava programada, os boatos começaram. "A informação circulou com imprecisão", comentou.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!