Cachoeira e Cavendish são soltos sem tornozeleira

Por falta do equipamento no estado do Rio de Janeiro, investigados serão monitorados por agentes da Polícia Federal. Outros três presos na Operação Saqueador também foram liberados a pedido do STJ nesta segunda-feira (11)

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) mandou soltar Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, e o diretor da empreiteira Delta, Fernando Cavendish. Ambos saíram do complexo de Bangu 8, no Rio de Janeiro, por volta de 4h desta segunda-feira (11). Também foram liberados Adir Assad, Marcelo Abbud e Cláudio Abreu.

Todos eles estavam presos desde o dia 2 de de julho na Operação Saqueador, da Polícia Federal. Por falta de verbas no estado, eles não serão monitorados por tornozeleiras eletrônicas. A vigilância terá que ficar a cargo de agentes.

A Operação Saqueador investiga mais 20 pessoas por envolvimento no esquema de corrupção. Segundo o procurador da República Leandro Mitidieri, cerca de R$ 370 milhões foram desviados de obras públicas tocadas pela Delta e lavados por intermédio de 18 empresas de fachada forjadas por Cachoeira, Assad e Marcelo Abbud, outro preso. O dinheiro em seguida era sacado em espécie e repassado a agentes públicos, de maneira a dificultar seu rastreamento. Abbud e o ex-diretor da Delta no Centro-Oeste e Distrito Federal Claudio Abreu também receberam o benefício da prisão domiciliar.

De acordo com os investigadores, entre 2007 e 2012, Delta Construções teve mais de 96% de seu faturamento proveniente de verbas públicas, uma soma de aproximadamente R$ 11 bilhões. Segundo o MPF, os operadores do esquema “lavaram” R$ 370 milhões por meio de 18 empresas de fachada – sem funcionários nem receita compatível com a despesa. Os envolvidos realizavam pagamentos a agentes públicos para manter o esquema em segredo. Boa parte da propina era depositada em dinheiro e, principalmente, em ano de eleição.

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!