Áudio: vice-governador revela propina no DF

Em gravação, Renato Santana, vice-governador do Distrito Federal, diz que dinheiro da Secretaria de Fazenda destinado à saúde é desviado por meio de pagamento de propinas de 10% sobre contratos

Em gravação divulgada pela revista IstoÉ nesta sexta-feira (15), o vice-governador do Distrito Federal, Renato Santana (PSD), e a presidente do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde (SindSaúde), Marli Rodrigues, falam sobre um esquema de propina instalado no governo local. O desvio ocorre, segundo o áudio, em recursos da Secretaria de Fazenda destinados à pasta da Saúde.

No áudio, Renato Santana revela que sabe de um esquema de corrupção que desvia 10% de propina dos pagamentos à Secretaria de Saúde feitos pela Fazenda. Marli, no entanto, diz que ouviu falar que a propina chega a atingir 30%. Em 1h27 de gravação, além de Renato Santana e Marli Rodrigues, aparece também o ex-funcionário do SindSaúde Valdeci Rodrigues, dono do apartamento onde o áudio foi gravado.

A conversa não revela quem está por trás do esquema fraudulento. Por outro lado, já foi suficiente para a presidente da Câmara Legislativa, deputada Celina Leão (PPS), convocar uma reunião de emergência da CPI da Saúde para segunda-feira (18).

Em nota, Renato Santana afirmou que "repudia ter sido alvo de gravação ilegal de conversas com terceiros". Disse ainda que "assim que teve conhecimento de suposta cobrança de 10% por pagamentos efetuados na Secretaria de Fazenda, reportou imediatamente as denúncias para o próprio governador Rodrigo Rollemberg".

Já o governador afirmou, também em nota, que "a apuração feita pelo governo não identificou o nome citado por ele no quadro de servidores da pasta". E disse que “determinou à Controladoria-Geral do DF que tomasse todas as providências” em relação ao caso.

Íntegra da nota do governador Rodrigo Rollemberg:

O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, determinou à Controladoria-Geral do DF que tome todas as providências concernentes à reportagem da edição 2432 da revista Isto É, que cita um diálogo no qual o vice-governador Renato Santana revelaria ter conhecimento de uma suposta cobrança de propina no governo de Brasília. E determinou também que a Polícia Civil abra imediatamente uma investigação para apurar o caso. O governo de Brasília também encaminhará ao Ministério Público um pedido de investigação.

A reportagem não aponta quem praticou ou quem se beneficiou das supostas ações criminosas. O vice-governador Renato Santana chegou a se referir à possibilidade de haver irregularidades na secretaria de Fazenda, mas a apuração feita imediatamente pelo governo não identificou o nome citado por ele no quadro de servidores da Secretaria de Fazenda. Por isso, o governo de Brasília está solicitando ao vice-governador Renato Santana que oficialize os supostos casos de corrupção de que teria conhecimento, detalhando os nomes dos envolvidos e os respectivos contratos firmados com o governo de Brasília.

O governador Rodrigo Rollemberg decidiu ingressar com uma queixa-crime contra a presidente do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde (SindSaúde), Marli Rodrigues, pelas palavras difamatórias com que ela se referiu a ele nas gravações publicadas pela imprensa.

Por orientação do governador Rodrigo Rollemberg, a Controladoria-Geral do DF tem agido de forma preventiva e, na ocorrência de denúncias, com a rapidez necessária para apurar e evitar possíveis prejuízos aos cofres públicos.

O governo de Brasília tem confiança que o Ministério Público apurará os fatos e tomará as medidas exigidas nesse caso.

O governo de Brasília não compactua com nenhum desvio no que se refere à boa gestão dos recursos públicos."

Íntegra da nota do vice-governador:

“O vice-governador Renato Santana repudia ter sido alvo de gravação ilegal de conversas com terceiros. Assim que teve conhecimento de suposta cobrança de 10% por pagamentos efetuados na Secretaria de Fazenda, reportou imediatamente as denúncias para o próprio governador Rodrigo Rollemberg e permanecerá seguindo essa conduta às possíveis práticas inadmissíveis à conduta no serviço público.

Com relação aos relatos da presidente do SindSaúde, a dinâmica será semelhante, desde que ela aponte os agentes objeto da denúncia trazida durante a gravação. O vice-governador se sente absolutamente à vontade em fazer as auto-críticas, a maioria delas fruto do que ele recebe como feedback da população nas ruas. Como servidor público há mais de 20 anos, a postura de apontar supostos desvios de conduta é ainda mais latente, fruto do compromisso com a coisa pública que fez quando entrou para os quadros do GDF por meio de concurso público.”


Veja a íntegra da matéria da IstoÉ

Mais sobre Brasília

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!