Ataques superam propostas na disputa pelo Planalto

Presidenta Dilma Rousseff (PT) preferiu atacar o adversário Aécio Neves (PSDB) em 19 dos 22 anúncios de 30 segundos veiculados na televisão neste segundo turno. Já o tucano optou pela crítica à candidata petista em 19 das 13 inserções a que teve direito.

As duas principais candidaturas à presidência da República estão priorizando os ataques em detrimento à apresentação de propostas. De acordo com um levantamento feito pelo jornal Folha de S.Paulo, a campanha da presidente Dilma Rousseff (PT) preferiu atacar o adversário Aécio Neves (PSDB) em 19 dos 22 anúncios de 30 segundos veiculados na televisão neste segundo turno. Já o tucano optou pela crítica à candidata petista em 19 das 13 inserções a que teve direito.

Ainda assim, não é possível dizer que a petista bate mais do que o tucano. Isso porque, segundo a reportagem, não foi possível levantar a quantidade de vezes que as inserções foram veiculadas pelas duas campanhas. A agressividade da disputa presidencial no segundo turno teve seu ápice na última quinta-feira, durante o debate entre os dois presidenciáveis promovido pelo SBT, a rádio Jovem Pan e o portal UOL.

De acordo com o cientista político Rui Tavares, a estratégia de priorizar o ataque ao adversário é arriscada, principalmente em se tratando da candidata petista. Na sua avaliação, Dilma já teria um eleitorado consolidado e a única forma de ganhar terreno seria tirar votos do adversário tucano. Ele também lembrou que os ataques de Aécio podem não ter mais o efeito desejado, já que as principais críticas feitas ao governo do PT já não geram mais surpresas no eleitorado.

Veja a íntegra da matéria no site do jornal

Mais sobre as eleições

Assine a Revista Congresso em Foco

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!