Armando Monteiro é escolhido novo ministro do Desenvolvimento

Senador chegou de madrugada a Brasília, dirigiu-se do aeroporto ao Palácio da Alvorada, e de lá regressou para Recife

O senador Armando Monteiro Neto (PTB-PE) foi escolhido nesta sexta-feira (21) para chefiar o Ministério do Desenvolvimento, Industria e Comércio Exterior (Mdic) no próximo mandato da presidenta Dilma Rousseff. A informação foi veiculada em primeira mão pelo jornalista Kennedy Alencar, em entrada ao vivo na rádio CBN, no início da tarde.

Um interlocutor de Monteiro Neto, que tem mandato a cumprir até janeiro de 2009, confirmou ao Congresso em Foco que Monteiro Neto chegou ao Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, em Brasília, no inicio da madrugada de hoje (sexta, 21), e teve reunião pela manhã no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência da República. A fonte não confirmou se essa reunião foi com a presidenta Dilma Rousseff, mas informou que o senador saiu de lá direto para o aeroporto, do qual regressou para Recife, onde sua filha se casa à noite.

O senador substituirá o atual ministro do Mdic, Mauro Borges Lemos, embora ainda não haja data definida para a troca. A escolha de Dilma por um parlamentar do PTB – partido da base aliada, mas que apoiou Aécio Neves (PSDB-MG) na corrida presidencial – é vista como uma sinalização do governo no sentido de reatar a parceria.

Nascido em Recife em 24 de fevereiro de 1952, Monteiro Neto é advogado, administrador de empresas e industrial. Presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI) por dois mandatos consecutivos, entre 2002 e 2010, é um nome conhecido da classe produtiva brasileira. Além da CNI, presidiu a Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco por quatro mandatos consecutivos, entre 1992 e 2004.

Deu os primeiros passos na política em 1990, quando se filiou ao PSDB, partido do qual saiu em 1997 para aderir ao PMDB. Está filiado ao PTB desde 2003. Exerceu por três vezes consecutivas o mandato o cargo de deputado federal, entre 1999 e 2011. Foi o mais votado candidato de Pernambuco para o Senado em 2010, com mais de três milhões de votos.

Nas eleições deste ano, recebeu 1.373.237 votos válidos (31,07%) na disputa ao governo do estado , mas foi vencido em primeiro turno pelo governador eleito, Paulo Câmara (PSB), que obteve 3.009.087 votos (68,08%).  É autor de Missão e compromisso (Editora Letras & Artes, 1997).

Assine a Revista Congresso em Foco

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!