Argentinos estão confiantes na classificação, mas acham que jogo será duro

Seleção de Messi, Di María e cia enfrenta a Bélgica neste sábado pelas quartas de final da Copa

Os argentinos que estão instalados no estacionamento do Parque de Exposições da Granja do Torto, área preparada pelo governo do Distrito Federal para receber os torcedores, estão confiantes na vitória contra a Bélgica sábado (5), no Estádio Nacional de Brasília, o Mané Garrincha, apesar de acreditar que a partida será dura. Cerca de 15 mil argentinos têm ingressos para o jogo deste sábado.

“Se Deus quiser, vamos acompanhar a seleção argentina até a final. Amanhã vai ser um jogo duro contra a Bélgica, que tem bons zagueiros e um bom goleiro.  Mas acredito que vamos passar com 1 a zero”, disse o engenheiro industrial Elias Sarrouf, de 28 anos, que viaja a bordo de um ônibus Mercedes-Benz 1974, chamado de El Carnavalito, decorado com as cores azul e branco da seleção de Messi.

Elias e quatro amigos vêm acompanhando a seleção desde o primeiro jogo, no Rio de Janeiro. Eles passaram por Belo Horizonte e São Paulo e já percorreram 6,5 mil quilômetros, desde a província de Jujuy, de onde saíram no dia 9 de junho.

Para o metalúrgico Ivo Danelon, 58 anos, da cidade de Escobar, na província de Buenos Aires, a expectativa é de vitória. “Acho que o placar será 2 a 0, mas será muito difícil. A seleção argentina ainda tem que melhorar e os jogadores belgas são muito bons e rápidos”, disse ele, que vem percorrendo as cidades onde a Argentina jogou desde 15 de junho a bordo de um motorhome reformado especialmente para a viagem.

O comerciante Jorge Pastor, 39 anos, da província de Salta, também acompanha a Argentina desde o início do Mundial e está certo de que sua seleção chegará à final. “Torço para uma final Brasil e Argentina. Amanhã, o importante é ganhar, nem que seja por 1 a 0. Vou seguir a seleção até a final no Rio de Janeiro”.

Cerca de 30 veículos, entre motorhomes, ônibus e vans com argentinos, estavam estacionados na Granja do Torto durante a partida entre o Brasil e a Colômbia. O local tem 118 chuveiros e 105 banheiros químicos para receber os torcedores, além de um Centro de Atendimento ao Turista Móvel, o apoio da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência.

Mais sobre Copa do Mundo

Assine a Revista Congresso em Foco em versão digital ou impressa

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!