Aposentados cobram mudanças em regras da aposentadoria

Aposentados e pensionistas participam nesta sexta-feira (20) da Manifestação Nacional pela aprovação do projeto de lei que extingue o fator previdenciário e dos projetos que reajustam o valor do benefício com base no salário mínimo. Os aposentados irão fechar a Avenida Francisco Bicalho (RJ) – que dá acesso à ponte Rio-Niterói –, a Ponte de Cabeçudas, em Santa Catarina, a BR 112, entrada de Porto Alegre (RS), e a BR 01 Sul, em Recife (PE).

“O protesto não é contra o governo Lula, e sim um pedido para que o Congresso se sensibilize e vote logo os projetos. A gente vai colocar os aposentados na rua e distribuir uma carta aos motoristas, para que eles pressionem os deputados de seus estados para votarem a favor. Dificilmente, existe uma família que não tenha, pelo menos, um aposentado”, disse ao Congresso em Foco o diretor financeiro da Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas (Cobap), Nelson Osório.

A mobilização pede que sejam aprovados o projeto 4434/2008, que recompõe as perdas das aposentadorias e pensões, o PL 3299/2008, que extingue o fator previdenciário e a emenda ao PL 01/2007, que estabelece o mesmo índice de reajuste do salário mínimo a todos os benefícios previdenciários. Todas as propostas, de autoria do senador Paulo Paim (PT-RS), já foram aprovadas pelo Senado e tramitam na Câmara.

Em todos os estados a manifestação tem início às 11h. No Rio Grande do Sul, haverá também uma concentração às 15h na Câmara Municipal de São Leopoldo. (Renata Camargo)

Leia abaixo a carta de manifestação

O Brasil de Quase Todos

Prezados Senhores (as),

Os Aposentados e Pensionistas vem por meio desta, prestar esclarecimentos sobre a verdadeira situação da Previdência Social e a situação dos aposentados do INSS do Brasil. Este comunicado é de interesse de todas as classes sociais e a todos os poderes constituídos.

Não é de hoje, que vemos o poder executivo, apoiado principalmente pelos comentaristas econômicos da mídia e instituições de ensino, propagando inverdades sobre a situação econômica da Previdência Social. Dizem que está quebrada, que é deficitária etc. Mas nada disso é verdade!

O ex-ministro da previdência, senhor Ricardo Berzoini afirmou que a Previdência não é e não pode ser deficitária. Já o Exmo. Presidente da República, senhor Luis Inácio Lula da Silva, confirmou em Dávos no ano de 2006 o que disse o Sr. Berzoini. Outro ponto contraditório, por parte do Governo Federal é a utilização indevida da DRU (Desvinculação da Receita da União) que tira da Previdência
mais de 20 bilhões de reais anualmente. Como o governo pode tirar dinheiro de uma instituição que está quebrada ou deficitária?

Desta forma, caros amigos, Aposentados e Pensionistas e todos de nosso querido Brasil, o reajuste concedido pelo Governo Federal aos Aposentados e Pensionistas em fevereiro de 2009 de 5,92% (cinco ponto noventa e dois por cento) menor que o 6,22% (seis ponto vinte e dois por cento) anunciado pelo Governo e menos que o índice concedido ao salário mínimo de 12,05% (doze ponto
zero cinco por cento). Com esse reajuste o Governo conseguiu humilhar a nossa gente deixando-nos frustrados, desiludidos e desesperançados. Isto é mais uma medida contra nossa classe.

Podemos dizer que muitos de nós convivemos com o Presidente e certamente ajudamos a construir sua liderança que o elevou a dirigir nossa pátria. Muitos desses, hoje esquecidos foram seus companheiros e parceiros de luta, o alicerce de sua vitoriosa carreira política.

Hoje nossa luta é primeiro na Câmara Federal pela aprovação do PL 01/07 que reajustará os nossos salários pelo mesmo índice do salário mínimo e pelo PL 4434 que prevê a recomposição das perdas. Nosso Ato hoje dia 20/03/2009 visa sensibilizar os senhores Deputados a votarem favorável aos Aposentados esses dois PL's.

Por isso da afirmação inicial: O Brasil de Quase Todos, nós Aposentados e Pensionistas estamos excluídos. Queremos ser ouvidos pela imprensa, para que conheçam o outro lado da verdade.

(Confedereção Brasileira de Aposentados e Pensionistas)

Continuar lendo