Estamos mudando o site. Participe enviando seus comentários por aqui.

Após ser alvo da Zelotes, economista deixa coordenação da campanha de Doria

Poucas horas após ser alvo da última fase da operação Zelotes, deflagrada na manhã desta quinta-feira (26), o coordenador-geral do programa do pré-candidato João Doria (PSDB) ao governo de São Paulo, Roberto Giannetti, se licenciou do cargo.

O afastamento do cargo, segundo nota escrita pela campanha de Doria, é para que o economista possa se dedicar à sua defesa nas investigações da Zelotes, que apuram fraudes no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf).

Giannetti é suspeito de ter recebido R$ 2,2 milhões para beneficiar a empresa empresa Paranapanema em um processo no Carf. Ele teve seus endereços revistados hoje.

Segundo as investigações, uma empresa de Giannetti, a Kaduna Consultoria, teria firmado contratos fictícios com a siderúrgica Paranapanema, sem comprovação de prestação de serviços, pelo valor de R$ 8 milhôes.

Em seguida, a Paranapanema foi beneficiada pelo Carf, que anulou uma cobrança de R$ 650 milhões de tributos que não haviam sido pagos.

O economista já atuou como secretário-executivo da Câmara de Comércio Exterior (Camex) no governo Fernando Henrique Cardoso e como diretor da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Tanto Giannetti como a Kaduna negam quaisquer irregularidades.

Continuar lendo