Após polêmica reforma, Temer e Marcela se mudam para o Alvorada

Palácio passou cinco meses sendo usado apenas para reuniões e jantares. Local foi adaptado para receber família presidencial, mas reforma é criticada por arquitetos

 

 

Mais de cinco meses após assumir o cargo de presidente, Michel Temer passará a usar o Palácio da Alvorada - residência oficial do chefe do Executivo brasileiro. Temer, a primeira dama, Marcela, e o filho do casal, Michelzinho, se mudaram para o Alvorada neste sábado (18).

O local foi reformado para receber o presidente e sua família. Segundo o site Poder 360, houve uma redecoração e alguns móveis teriam sido trocados porque Marcela não gosta de vermelho e Temer prefere estofados caros.

Segundo a assessoria do Planalto, apenas “tapetes pesados” foram trocados. Uma tela de proteção foi instalada em sacada no 1º andar, para proteger Michelzinho. Arquitetos dizem que a modificação viola o tombamento do prédio.

Beto Barata/Presidência da República
Beto Barata/Presidência da República
 

“Tapetes foram substituídos, por uma questão de gosto pessoal, porque Marcela não gosta de tapete vermelho, os sofás têm sido substituídos, porque não gostam de sofá preto, porque não gostam do sofá cor de telha, apesar de essas cores terem sido escolhidas pela própria Anna Maria Niemeyer e Oscar Niemeyer na década de 1960”, afirmou o ex-secretário-executivo da comissão de curadoria dos palácios do Planalto e da Alvorada, Claudio Rocha, ao Poder 360.

O Palácio estava desocupado desde 6 de setembro de 2016, quando Dilma Rousseff teve seu impeachment consumado e teve que deixar o local. Até hoje, Temer morava no Palácio do Jaburu, residência oficial do vice-presidente que ficará desocupada.

Leia a íntegra da matéria do Poder 360

Mais sobre Michel Temer

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!