Após derrota no STF, Cunha vai ao estádio e vê ‘Manezaço’ do Flamengo

Presidente da Câmara dá um tempo do turbilhão político e vê “goleada” de dois gols aplicada pelo Coritiba em Brasília. “Tomou 8 a 3 no STF e 2 a 0 do Côxa!!!”, provocou um internauta

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), deixou um pouco de lado as agruras da política e da Operação Lava Jato, da qual é um dos investigados, e vestiu a camisa do Flamengo nesta quinta-feira (17). Aproveitou a partida contra o Coritiba em Brasília, no Estádio Mané Garrincha, pelo campeonato brasileiro, e postou foto em que figura sorridentemente em seu perfil no Facebook. Ostentando o número 15 nas costas (numeração eleitoral do PMDB), em estampa personalizada com seu nome, o deputado “flamenguista desde pequeno” até demonstrou certo otimismo antes do jogo, em postagem feita por volta das 21h. Mas, como um Mick Jagger tupiniquim, o parlamentar fluminense (sem trocadilho) não parece ter dado sorte ao rubro-negro carioca: dois a zero Côxa.

“O futebol é um esporte apaixonante, que une as pessoas independentemente de etnia, crença ou religião. Eu, como um bom apreciador e flamenguista desde pequeno, estou aproveitando o jogo aqui em Brasília para torcer de perto!”, postou o deputado, ao lado da hashtag #VamosFlamengo, com a maré vermelha de torcedores ao fundo. Para Eduardo Cunha, a derrota de seu time não deve ter sido tão “esperada” quanto outro fracasso pessoal nesta quinta-feira, este no Supremo Tribunal Federal (STF; leia mais abaixo).

Foi o site Lancenet que registrou em primeira mão a presença da autoridade no Mané Garrincha. O jogo, que registrou o recorde de público do Brasileirão, com 67.011 pagantes, não serviu apenas para tirar o Flamengo do quarto posto na tabela de classificação, retomada pelo São Paulo. Prestou-se também à galhofa no futebol, prática que deixa menos pesado um ambiente ultimamente tão marcado por arbitrariedades, corrupção e violência: lembrando o “Maracanazo” de 1950, quando a seleção perdeu a final da Copa do Mundo para o Uruguai, diante de 200 mil pessoas, o Globoesporte.com fez uma bem humorada referência ao mar de torcedores rubro-negros, em uma de suas matérias sobre a peleja: “Manézaço – Flamengo bate recorde de público em Brasília, mas deixa o G-4 com derrota para o Coritiba”.

Em tempo: um torcedor que demonstrou estar antenado com as coisas da política postou, logo ao fim do jogo, uma referência à outra desdita de Cunha – defensor do financiamento empresarial de campanhas eleitorais, o deputado viu o STF declarar, nesta quinta-feira (17), a inconstitucionalidade da prática, proibindo já para o pleito municipal de 2016 doações privadas a candidatos ou partidos com cinco votos de diferença: “Tomou 8 a 3 no STF e 2 a 0 do Côxa!!!”, provocou o internauta Guilherme Daldin, brincando com os placares que tanto devem ter chateado o parlamentar.

Mais sobre Eduardo Cunha

Mais sobre Operação Lava Jato

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!