Ameaçado de expulsão, senador ironiza decisão do PDT

Telmário Mota diz que Carlos Lupi transformou o partido nacional em uma legenda cearense a serviço de Ciro Gomes, nome do PDT para a disputa presidencial de 2018

O líder do PDT no Senado, Telmário Mota (RR), reagiu com ironia diante da decisão política tomada pelo presidente da legenda, Carlos Lupi, e a direção do seu partido de expulsá-lo da legenda por ter votado a favor da emenda constitucional que limita pela inflação do ano anterior, pelos próximos 20 anos, os gastos primários da União, estados e municípios. A tramitação da matéria foi concluída ontem (terça, 13) e vai virar lei amanhã, com a promulgação prevista em solenidade de plenário.

“Não recebemos orientação do partido sobre esta emenda. Lupi transformou o PDT em um partido cearense e depois que ele deixar de fazer campanha no Ceará vamos conversar”, disse Telmário.

O senador se refere à pré-campanha que Lupi vem fazendo para confirmar a candidatura do ex-governador do Ceará e ex-deputado Ciro Gomes ao Palácio do Planalto, em 2018, pelo PDT.

“Primeiro, gostaria de saber se Lupi já saiu de Fortaleza, onde ele transformou o partido, que é nacional, em uma legenda cearense”, disse Telmário. Além do parlamentar de Roraima, o senador Lasier Martins (RS) também votou a favor da emenda do limite de gastos e também será submetido a um processo interno de expulsão do PDT.

Carlos Lupi confirmou ao Congresso em Foco que Ciro Gomes deverá ser mesmo o candidato do PDT à Presidência da República em 2018. De fato, ele tem ficado muito tempo em Fortaleza em reuniões de articulação da candidatura do ex-governador ao Planalto. Telmário disse que vai enfrentar as acusações da direção da legenda de que foi infiel às orientações partidárias.

Mais sobre fidelidade partidária

Carlos Luipiciro gomescrise brasileiraeleições 2008eleições 2018fidelidade partidáriaLaisier MartrinspdtpicturesTelmário Mota