AMB quer aproximar sociedade e Justiça e humanizar figura do juiz

A campanha #SomosTodosJuízes será dividida em três fases, todas com a divulgação de vídeos. Segundo o presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros, iniciativa pretende combater a cultura de "levar vantagem em tudo"

No momento em que o Judiciário assume importante protagonismo, com as decisões do juiz Sérgio Moro à frente da Operação Lava Jato, e do Supremo Tribunal Federal (STF) com o afastamento do presidente da Câmara, a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) lança nesta segunda-feira (9), em Brasília, uma iniciativa que pretende aproximar a Justiça e o cidadão. A campanha #SomoTodosJuízes pretende humanizar a figura do juiz e provocar na sociedade o reconhecimento da dificuldade do ato de julgar. O lançamento está previsto para as 19h30 no Brasília Palace Hotel.

“Além de aproximar, queremos fazer com que a sociedade tenha maior compreensão da Justiça, de sua atuação, e da dificuldade que os juízes enfrentam para decidir como qualquer cidadão. Temos de tomar decisões muito difíceis sob muita pressão”, explica o presidente da AMB, João Ricardo Costa. A iniciativa tem o apoio institucional do Congresso em Foco.

A campanha é voltada para o meio digital, com forte inserção nas redes sociais. A ideia é aplicar, por meio de vídeos, os conceitos de ética, senso de justiça, isenção, busca pela igualdade e respeito às diferenças e às leis no dia a dia do brasileiro.

“Pretendemos trazer o debate sobre essa cultura de levar vantagem em tudo, que não é só brasileira, mas da humanidade, ainda que em alguns países ela seja mais forte. Mostrar por que as pequenas transgressões podem chegar a um nível insuportável de corrupção como no Brasil. Queremos levantar esse debate na sociedade”, diz o presidente da associação.

Na avaliação do magistrado, o projeto garante visibilidade ao debate sobre a questão cultural da corrupção e o papel do Judiciário no país. “As pessoas precisam entender por que chegamos a esse ponto, por que o Estado está tão tomado pelo crime organizado, pela corrupção, pelo tráfico de influência. Isso tem uma história, que passa pela forma com que as pessoas encaram essas questões. Precisamos que a sociedade amadureça”, defende João Ricardo Costa. “Cada um de nós tem de fazer seu próprio policiamento e também fiscalizar as instituições e os homens públicos”, acrescenta.

Segundo o presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros, a campanha também procura unificar o discurso em um país que se encontra hoje tão dividido politicamente. “É o momento de buscar serenidade e parceiros com ânimo de unificar o Brasil, de construir uma agenda positiva, de superarmos esse ódio fruto da polarização política”, afirma o juiz.

A campanha #SomosTodosJuízes será dividida em três fases, todas com a divulgação de vídeos. A primeira traz crianças que contam de maneira espontânea o que é ser juiz na visão delas, como se sentem ao tomar decisões e o que pretendem fazer por uma sociedade mais justa. Na segunda etapa, profissionais das mais diversas áreas e juízes conversam sobre os desafios, as similaridades e as diferenças entre suas profissões. Celebridades e fornecedores de opinião participam da terceira fase para divulgar e reforçar o conteúdo de toda a iniciativa.

Acesse o hotsite #SomosTodosJuízes

Mais sobre o Judiciário

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!