Aliados pretendem ir ao STF contra CPI restrita à Petrobras

Governistas querem barrar a instalação de CPI da Petrobras proposta pela oposição

Ex-ministra da Casa Civil, a senadora Gleisi Hoffman (PT-PR) anunciou nesta quarta-feira (9) que a base aliada ao governo vai ao Supremo Tribunal Federal (STF) na tentativa de suspender a possível instalação de uma CPI restrita a supostas irregularidades na Petrobras.

Em sessão na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado, Gleisi voltou a argumentar que não há “fato determinado” que justifique a instalação de uma CPI como querem os oposicionistas.

"Apresentaremos um mandado e segurança com base nos mesmos argumentos [da oposição] para que se conceda uma liminar para suspender a comissão por não atendimento de requisito constitucional", disse Gleisi.

Ontem, os oposicionistas apresentaram ao STF um mandado de segurança, com pedido de liminar, para que a corte determine a instalação de uma CPI para que sejam investigadas somente questões envolvendo a Petrobras, incluindo a compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, suspeita de pagamento de propina a funcionários da estatal e supostas irregularidades no lançamento de plataformas e nas obras da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco.

Os aliados do Palácio do Planalto dizem aceitar uma CPI, desde que a apuração abranja temas que atingem os prováveis adversários da presidente Dilma Rousseff nas eleições de outubro, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB). O mandado de segurança do PT deve ser protocolado na tarde desta quarta-feira.

Mais sobre Petrobras

Nosso jornalismo precisa da sua assinatura

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!