Agefis retoma desobstrução de área invadida no parque ecológico do Guará

Agência de fiscalização já resgatou 389 mil m² de terras públicas no local. Parte da ocupação atingiu Reserva Biológica do Guará. De acordo com Agefis, remoções são indispensáveis para preservar a biodiversidade na região

 

 

Apesar de as operações para remover invasões no Parque Ecológico Ezechias Heringer, no Guará, terem sido interrompidas por liminar da Vara de Meio Ambiente, Desenvolvimento Fundiário e Urbano do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, nesta sexta-feira (13) máquinas e servidores da Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis) deram continuidade à desobstrução da área pública.

Na quinta-feira (12), a decisão do TJDFT determinou que a desocupação não atingisse pessoas que residiam no local antes de 1998, e que não haviam sido indenizadas ou reassentadas pelo Estado. Entretanto, a diretora-presidente da Agefis, Bruna Pinheiro, destacou que em levantamento feito pelo Instituto Brasília Ambiental (Ibram) e pela Companhia do Metropolitano (Metrô), foi confirmada a restituição ou transferência de todos os ocupantes do espaço em algum momento após 1998. “Portanto, a liminar não paralisa as operações, pois não existem pessoas naquela área amparadas pelo que estabelece a decisão do magistrado”, defende.

Desde a última segunda-feira (9), a Agefis resgatou 389 mil metros quadrados de terras públicas no parque. Parte da ocupação atingiu a Reserva Biológica do Guará, que fica ao lado do parque. De acordo com a agência de fiscalização, as remoções são indispensáveis para preservar a biodiversidade na região.

* Com informações da Agência Brasília

Mais sobre Brasília

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!