Aécio rebate Dilma: ‘Discurso golpista é o do PT’

Presidente do PSDB afirma que petista fala em golpe para inibir a ação da imprensa e de órgãos de investigação e fiscalização. “Tudo que contraria o PT, e os interesses do PT, é golpe", diz o tucano em nota

O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), divulgou nota nesta terça-feira (7) em que rebate a declaração da presidente Dilma Rousseff que chama de tentativa de golpe da oposição um eventual pedido de impeachment ou de cassação de seu mandato. Segundo o tucano, Dilma assume o discurso do golpismo para tentar inibir a ação da imprensa e dos órgãos de investigação com o objetivo de blindar seu governo, petistas e aliados.

“Tudo que contraria o PT, e os interesses do PT, é golpe! Na verdade o discurso golpista é o do PT, que não reconhece os instrumentos de fiscalização e de representação da sociedade em uma democracia. O discurso golpista do PT tem claramente o objetivo de constranger e inibir instituições legítimas, que cumprem plenamente seu papel”, escreveu o senador.

Candidato derrotado por Dilma no segundo turno em 2014, Aécio afirma que o PT tenta transformar em golpe todas as investigações que ameaçam o partido e a presidente, como as suspeitas de corrupção na Petrobras, de uso de dinheiro do chamado "petrolão" na campanha eleitoral e de manobras fiscais para aprovação de suas contas. “Se a Polícia Federal e o Ministério Público investigam crimes de corrupção praticados por petistas, para o PT trata-se de golpe.”

Em entrevista à Folha, publicada nesta terça-feira, Dilma chamou setores da oposição de “golpistas” e desafiou seus adversários a tentarem tirá-la do cargo. A presidente afirmou que não vai renunciar ao mandato nem ser cassada porque não cometeu nenhum ato ilícito. “Eu não vou cair. Eu não vou, eu não vou. Isso aí é moleza, é luta política”, declarou. Segundo ela, não há qualquer fundamento para um eventual pedido de impeachment, como defendem seus opositores. “As pessoas caem quando estão dispostas a cair. Não estou. Não tem base para eu cair”, declarou. “E venha tentar, venha tentar. Se tem uma coisa que eu não tenho medo é disso. Não conte que eu vou ficar nervosa, com medo. Não me aterrorizam”, emendou.

O líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO), também rebateu as declarações de Dilma. “A entrevista de Dilma para a Folha segue o script de muitos que estiveram nos seus últimos dias de mandato e não tiveram a habilidade de construir uma transição. Em vez de ter a estatura de estadista nesse momento de crise, ela se coloca em uma posição de desafio, como se fosse culpa da oposição o momento que passa o país”, criticou.

Veja a íntegra da nota de Aécio à imprensa:

“O discurso do golpe

O discurso do golpe que vemos hoje assumido pela presidente da República, e repetido pelos seus ministros e pelos petistas, nada mais é do que parte de uma estratégia planejada para inibir a ação das instituições e da imprensa brasileiras no momento em que pesam sobre a presidente da República e sobre seu partido denúncias da maior gravidade.

Para o PT, se o TCU identifica ilegalidades e crime de responsabilidade nas manobras fiscais autorizadas pela presidente da República, trata-se de golpe.

Para o PT, se o TSE investiga ilegalidades na prestação de contas das campanhas eleitorais da presidente da República, trata-se de golpe.

Se a Polícia Federal e o Ministério Público investigam crimes de corrupção praticados por petistas, para o PT trata-se de golpe.

Tudo que contraria o PT, e os interesses do PT, é golpe!

Na verdade o discurso golpista é o do PT, que não reconhece os instrumentos de fiscalização e de representação da sociedade em uma democracia.

O discurso golpista do PT tem claramente o objetivo de constranger e inibir instituições legítimas, que cumprem plenamente seu papel.

Os partidos de oposição continuarão atentos e trabalhando para impedir as reiteradas tentativas do PT para constranger e inibir a autonomia e independência das instituições brasileiras.

Aécio Neves.
Presidente do PSDB.”

Dilma: ‘Eu não vou cair, isso aí é moleza’

Mais sobre a Operação Lava Jato

Continuar lendo