Aécio pede expulsão de tucano que ameaçou Dilma

Em nota, presidente do PSDB diz que manifestações violentas de advogado que disputou eleição pela legenda não condiz com o programa do partido. Em vídeo, Matheus Sathler diz que sangue será derramado e que arrancará a cabeça de Dilma

O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), anunciou que vai solicitar ao Conselho de Ética do partido a abertura de processo disciplinar para expulsar o advogado Matheus Sathler Garcia, que ameaçou “arrancar a cabeça” da presidente Dilma caso ela não renuncie, fuja do Brasil ou suicide até a próxima segunda-feira (7).

Em nota, o senador afirmou que a convocação de manifestações violentas feita pelo advogado, que concorreu a uma vaga na Câmara pela legenda no ano passado, não condiz com o ideário tucano.  “As recentes manifestações de Sathler contra a presidente Dilma Rousseff não condizem com o que prega o programa do PSDB nem estão em sintonia com o que espera de um filiado do partido”, disse Aécio.

As declarações do advogado, divulgadas em vídeo na internet, resultaram na abertura de investigação pelo Ministério da Justiça nesta terça-feira e em uma série de críticas, inclusive na oposição.

Veja o vídeo:

Aécio não foi o único tucano a reprovar o discurso beligerante de Sathler. O líder da oposição na Câmara, Bruno Araújo (PSDB-PE), também pediu a abertura de processo de expulsão do advogado. “O PSDB prega a ética, a decência e a dignidade na condução de todas as questões políticas e não admite qualquer atitude antidemocrática ou de violência", afirmou Bruno, em nota.

O presidente do partido no Distrito Federal, deputado Izalci, declarou que a manifestação de Sathler, que disputou uma cadeira de deputado federal pelo PSDB do DF, não reflete a posição da legenda. Ele apoiou a iniciativa do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, de abrir investigação para apurar as ameaças. Segundo Izalci, a intenção do advogado é polemizar e aparecer. “O PSDB nunca faria dessa forma”, disse.

Investigação

Em nota à imprensa, Cardozo informou que “medidas legais serão aplicadas ao caso para que, realizada a investigação policial, possam ser tomadas as sanções penais cabíveis”.

O vídeo divulgado pelo advogado levou à reação do presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, Paulo Pimenta (PT-RS). O petista encaminhou, nessa segunda-feira (31), uma série de requerimentos à Polícia Federal, ao Ministério da Justiça, ao Ministério Público Federal e à Ordem dos Advogados do Brasil, solicitando investigação das ameaças.

No vídeo, Matheus Sathler Garcia dá três opções a Dilma até o dia 7 de setembro: renunciar, fugir ou se matar. “Caso contrário, o sangue vai rolar. E não de inocentes. E vamos fazer um memorial na Praça dos Três Poderes: um poste de cabeça pra baixo. Com a foice e o martelo, nós vamos arrancar sua cabeça e fazer um memorial”, disse o advogado.

“Vamos juntamente com as Forças Armadas, populares do Brasil, defender o povo brasileiro e te tirar do poder. O povo brasileiro está cansado de ser escravizado por você, escravocrata de impostos. Você, que implantou a ditadura, comunista de cuba. Pegou em armas, foi derrotada e será derrotada mais uma vez”, disse o advogado.

Ainda no vídeo, o ex-candidato a deputado disse que sua fala não era uma ameaça. “Eis que um dia a tartaruga foi destronada da sua arrogância de autoridade. Aqui não é uma ameaça nem aviso, porque quando o povo agir, não terá mais volta”, disse Matheus Sathler. “Que Deus traga a paz à nossa nação. Divulgue essa informação”, concluiu.

“Kit Macho”

Esta não é a primeira vez que o advogado se envolve em polêmicas. Em sua fracassada tentativa de chegar à Câmara, no ano passado, ele defendeu a instituição de um “Kit Macho” e de um “Kit Fêmea”, que seriam cartilhas a serem distribuídas nas escolas para “ensinar homem a gostar de mulher e mulher a gostar de homem”.

Os kits, segundo ele, serviriam para neutralizar as ações que são desenvolvidas pelo programa federal “Brasil Sem Homofobia”. O então candidato tucano acusou o governo Dilma de “ensinar” homossexualidade às crianças brasileiras.

Evangélico, ligado à Assembleia de Deus Ministério Missão Vida, o advogado se apresenta como líder do Movimento Mais Valores, Menos Impostos. Em entrevista ao portal UOL, durante a campanha, Matheus Sathler declarou que tinha ideias inovadoras para “livrar a família brasileira de sua total destruição, como vem tentando fazer o PT (Partido dos Trabalhadores), que é o partido de Satanás”.

Mais sobre Dilma

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!