Aécio aparece com nota zero no ranking de melhores parlamentares de Veja

Senador tucano foi o único entre os 77 avaliados no Senado a não pontuar. De acordo com levantamento feito pela revista, governistas equilibraram o jogo com oposicionistas na relação dos melhores do ano em comparação com edições anteriores

Candidato derrotado em segundo turno à sucessão presidencial, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) aparece com nota zero no ranking de avaliação da atividade parlamentar divulgado neste fim de semana pela revista Veja. O ex-governador mineiro foi o único, entre os 77 senadores avaliados, a não pontuar em 2014 e aparece na última colocação do chamado Ranking do Progresso, produzido em conjunto pela revista com o Núcleo de Estudos sobre o Congresso (Necon) do Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Iesp­Uerj).

Os senadores Eduardo Amorim (PSC-SE), com 10 pontos, Lindbergh Farias (PT-RJ), com 9,53, e Armando Monteiro (PTB-PE), com 9,32, foram os mais bem avaliados. Na Câmara, os três primeiros colocados foram: Marcus Pestana (PSDB-MG) e Antônio Imbassahy (PSDB-BA), empatados com 10 pontos, e Gabriel Guimarães (PT-MG), com 9,98.

Durante a campanha eleitoral, Veja foi acusada por petistas de favorecer a candidatura de Aécio ao Planalto e de tentar prejudicar a reeleição de Dilma. No dia 26 de outubro, quando foi realizado o segundo turno, a revista foi obrigada pela Justiça eleitoral a publicar em seu site uma nota da coligação de Dilma, rebatendo a reportagem de capa daquela semana, que atribuía ao doleiro Alberto Youssef a declaração de que a presidente Dilma e o ex-presidente Lula sabiam do esquema do petrolão.

No ano passado, Aécio figurou na 30ª colocação do “Ranking do Progresso”, com 3,8 pontos. Em 2012, ficou na 14ª colocação, com 7 pontos. As notas são atribuídas aos parlamentares conforme sua atuação em nove eixos temáticos, como gestão pública, educação e relações trabalhistas (confira aqui a metodologia).

“São levadas em conta propostas de ajuste na legislação capazes de contribuir para um país mais moderno e competitivo, segundo a perspectiva de Veja e da Editora Abril”, explica o cientista político Fabiano Santos, coordenador do ranking, divulgado pelo quarto ano consecutivo.

O professor do Iesp-Iuperj ressalta que neste ano houve maior equilíbrio entre parlamentares do governo e da oposição em comparação a anos anteriores. Se as primeiras colocações ficaram basicamente com parlamentares do PSDB e do DEM nas edições anteriores, desta vez, entre os 20 mais bem colocados na Câmara, por exemplo, sete são da dupla oposicionista e sete são dos dois principais partidos da base governista, PT e PMDB. Os seis demais são do PPS, do PTB, do SD, do Psol e do PMN.

“Tivemos um longo e árduo ano de campanhas para os pleitos presidencial e legislativo — contaminadas, mais uma vez, por uma sucessão de escândalos que envolveram a classe política e alguns candidatos-protagonistas. Senadores e deputados passaram boa parte de 2014 empenhados em levar aos seus eleitores o resultado do trabalho desenvolvido a partir de 2011″, diz o texto publicado pela revista.

O Núcleo de Estudos sobre o Congresso desenvolveu uma metodologia que leva em conta todas as etapas de uma proposição, de sua origem à votação final, com peso específico em cada uma das fases. Segundo Fabiano Santos, houve outra especificidade no levantamento deste ano. “Muitos congressistas se lançaram na disputa para os executivos federal e estaduais. Isso trouxe pelo menos duas consequências: a) um número pequeno de deliberações no Congresso, se considerarmos como base o período 2011-2013; b) pouco trabalho feito por parlamentares que, em outro momento, teriam maior atuação nos processos decisórios do Legislativo.”

Confira abaixo quem se destacou no ranking da revista este ano, positiva ou negativamente:

SENADORES

Os dez primeiros colocados no “Ranking do Progresso”, de Veja em 2014

1º Eduardo Amorim (PSC-SE) – 10
2º Lindbergh Farias (PT-RJ) – 9,53
3º Armando Monteiro (PTB-MA) – 9,32
4º Aníbal Diniz (PT-AC) – 8,23
5º Eunício Oliveira (PMDB-CE) – 7,75
6º Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) – 7,72
7º Zezé Perrella (PDT-MG) – 7,48
8º Waldemir Moka (PMDB-MS) – 7,12
9º Randolfe Rodrigues (Psol-AP) – 7,04
10º Gleisi Hoffmann (PT-PR) – 7

Os deputados com pior avaliação no “Ranking do Progresso”, de Veja em 2014:
65º Ana Rita (PT-ES) – 2,04
66º Cyro Miranda (PSDB-GO) – 1,79
67º Humberto Costa (PT-PE) – 1,77
68º João Durval (PDT-BA) – 1,74
69º José Agripino (DEM-RN) – 1,64
70º Wellington Dias (PT-PI) – 0,76
71º Clésio Andrade (PMDB-MG) – 0,74
72º Cristovam Buarque (PDT-DFG) – 0,33
73º Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) – 0,13
74º Aécio Neves (PSDB-MG) – 0

DEPUTADOS
Os dez primeiros colocados no “Ranking do Progresso”, de Veja em 2014

1º Antônio Imbassahy (PSDB-MG) – 10
1º Marcus Pestana (PSDB-MG) – 10
2º Gabriel Guimarães (PT-MG) – 9,98
3º Angelo Vanhoni (PT-PR) – 9,36
4º Raul Henry (PMDB) – 8,69
5º Alessandro Molon (PT-RJ) – 8,66
6º Hélio Santos (PSDB-MA) – 8,64
7º Cláudio Puty (PT-PA) – 8,62
8º Jorge Côrte Real (PTB-PE) – 8,61
9º Lira Maia (DEM-PA) – 8,6
10º Amauri Teixeira (PT-BA) – 8,58

Os deputados com pior avaliação no “Ranking do Progresso”, de Veja em 2014:

234º Eduardo Sciarra (PSD-PR) – 1,65
234º João Carlos Bacelar (PR-BA) – 1,65
235º Perpétua Almeida (PCdoB-AC) – 1,62
236º Bernardo Santana de Vasconcellos (PR-MG) – 1,31
237º Beto Albuquerque (PSB-RS) – 1,24
237º Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) – 1,24
238º Esperidião Amin (PP-SC) – 1,03
239º Marcos Montes (PSD-MG) – 0,82
240º César Halum (PRB-TO) – 0,59
241º Leonardo Picciani (PMDB-RJ) – 0

Confira o ranking completo e leia as explicações de Veja

Mais sobre eleições 2014

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!