Abertas as inscrições para o esperado concurso do Senado

Mas, como revelou o SOS Concurseiro/Congresso em Foco, a prova tem problemas. Um dos editais foi copiado do concurso de 2001 e está completamente desatualizado

Mesmo com um edital caduco de dez anos, literalmente copiado pela Fundação Getúlio Vargas da prova de 2001, o concurso do Senado Federal continua sendo o certame mais esperado de 2012. E as inscrições para as provas abrem nesta segunda (26/12). O concurso oferece 246 vagas para profissionais de níveis médio e superior. As oportunidades de técnico, analista e consultor legislativo são as mais atrativas do mundo dos concursos por oferecerem remunerações iniciais bastante altas: entre R$ 13,8 mil a R$ 23,8 mil. Os postos da casa legislativa se juntam as outras 42.390 com inscrições abertas na última semana do ano (confira a lista completa aqui).

Leia também: Edital do Senado tem dez anos de idade

O edital foi lançado na última sexta-feira (23/12) no Diário Oficial da União (veja íntegra aqui),  mesmo sem a conclusão da reforma administrativa da Casa, que ficou para 2012. Em outubro, o relator da proposta de mudanças na Casa, senador Benedito Lira (PP-AL) garantiu que nenhum processo seletivo para novos servidores seriam abertos antes que as alterações fossem feitas. As previsões de aposentadorias aceleraram as negociações sobre o concurso: 400 servidores estão aptos a deixar o Senado este ano e outros 1.057 até 2015.

A Fundação Getúlio Vargas (FGV) foi a escolhida para organizar a seleção, como ocorreu em 2008. A empresa receberá as inscrições dos candidatos até 5 de fevereiro. Os valores cobrados para participação foram considerados altos, segundo especialistas ouvidos pelo SOS Concurseiro/Congresso em Foco (veja aqui). Os concorrentes a técnico pagarão R$ 180, a analistas, R$ 190 e a consultor, R$ 200.

As provas para todos os cargos estão marcados para 11 de março e a expectativa da comissão do Senado é atrair, pelo menos, 80 mil candidatos de todo o país.

Polêmicas

Foram divulgados quatro editais de acordo com o tipo de seleção: consultores, analistas, técnicos e polícia legislativa. Os dois primeiros exigem graduação e os seguintes, nível médio. Apesar da boa notícia aos concurseiros às vésperas do Natal, o concurso começa a causar polêmicas e questionamentos: além dos preços altos para adesão, o edital de consultores tem a maioria dos trechos do conteúdo programático idênticos às regras de seleção divulgadas pelo Cespe para o mesmo cargo, em 2001.

Segundo apurou o SOS Concurseiro/Congresso em Foco, entre os conhecimentos gerais, somente língua portuguesa e inglesa não tem conteúdos iguais ao edital elaborado pela empresa brasiliense. Já nos conhecimentos específicos, os textos são cópia fiel, com agravante de conter legislações revogadas e itens desatualizados (veja matéria detalhada aqui).

Confira mais informações sobre concursos públicos no SOS Concurseiro.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!