A geografia dos votos obtidos por Dilma e Aécio

Como tem sido desde 2002, o Nordeste foi decisivo para a vitória do PT. Mas vários fatos novos marcaram esta eleição. Veja os números, estado por estado, desta e das três disputas presidenciais anteriores

Seguindo a tradição dos últimos confrontos entre PT e PSDB em disputas presidenciais, Dilma Rousseff ganhou a eleição de segundo turno nas regiões Norte e Nordeste e perdeu no Sudeste, no Sul e no Centro-Oeste.

A grande vantagem que obteve sobre o tucano Aécio Neves no Nordeste – onde venceu com folga em todos os nove estados e teve mais de 76% dos votos válidos em três deles (Maranhão, Piauí e Ceará) – foi mais que suficiente para compensar os revezes nas demais regiões. Mas, considerando o histórico dos enfrentamentos entre os dois partidos, vários fatos novos ocorreram em relação à distribuição nacional dos votos neste ano.

O primeiro é que os tucanos tiveram o seu melhor desempenho desde que foram derrotados por Lula em 2002. Com 48,4% dos votos válidos (ante 51,6% de Dilma), Aécio superou a que havia sido desde aquela data a maior votação do PSDB em uma eleição presidencial: os 44% dos votos alcançados por José Serra, contra a própria Dilma, em 2010.

Também foi desta vez que a oposição venceu em maior número de estados, 12, enquanto os petistas levaram a melhor em 15. Para os oposicionistas, o grande destaque foi São Paulo. Ali, o PT teve sua menor votação das quatro últimas eleições presidenciais, amealhando pouco menos de 8,5 milhões de votos (35,7% dos válidos). Aécio ficou com a preferência de aproximadamente 15,3 milhões de eleitores – quase 7 milhões a mais. Outro trunfo foi a vitória no Rio Grande do Sul, estado em que Dilma construiu sua carreira pública e Aécio teve perto de 455 mil votos a mais que a atual presidenta da República.

Mesmo com a vitória apertada, Dilma tem mais resultados positivos para comemorar. O mais notável é que, em relação a 2010, ela aumentou a sua votação nominal em todos os estados nordestinos com exceção de Pernambuco. Ainda assim, conseguiu lá mais de 70% dos votos válidos (isto é, descontados nulos, brancos e abstenções), apesar do apoio dado a Aécio pela família do ex-governador Eduardo Campos (PSB). Sem falar que, no primeiro turno, quem obteve a preferência dos pernambucanos foi Marina Silva (PSB). Ou seja: dadas as circunstâncias, foi excelente a sua performance no estado natal de Eduardo Campos e do ex-presidente Lula.

A vitória mais simbólica, menos pelo número de votos (menos de 500 mil) do que pelo significado político, ocorreu em Minas Gerais. Dilma venceu Aécio no estado que ele governou por duas vezes.

Dilma venceu nos estados de Alagoas, Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Sergipe e do Tocantins.

Aécio ganhou no Distrito Federal e nos estados do Espirito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rondônia, Roraima, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

Veja abaixo qual foi a votação de Dilma e Aécio, estado por estado, e compare com os resultados obtidos por PSDB e PT desde 2002.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A votação para presidente, estado por estado, no primeiro turno de 2014

Mais sobre as eleições

Assine a Revista Congresso em Foco

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!