“Tentar me isolar é isolar a bancada do PMDB”, responde Eduardo Cunha

Após reclamações de Dilma e Temer, líder do partido na Câmara diz que apenas expressa sentimento da bancada ao defender que o partido reveja aliança com o PT

O líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), reagiu ao pedido da presidenta Dilma Rousseff ao vice-presidente Michel Temer para tentar neutralizar sua ação na Câmara. “Só expresso e só expressarei o que a bancada pensa e decide. Logo, tentar me isolar é isolar a bancada do PMDB”, respondeu o deputado, por meio de sua conta no Twitter. Eduardo Cunha é o principal porta-voz da insatisfação dos peemedebistas com o governo e chegou a defender, na semana passada, que o partido repense a aliança com Dilma e a antecipação da convenção que definirá o caminho da legenda na sucessão presidencial.

O deputado também foi um dos temas na conversa da presidenta com o seu vice na tentativa de conter a crise com o PMDB. Temer desautorizou o líder da bancada na Câmara a falar em nome do partido. Ele ressaltou que é a convenção partidária que vai decidir pela manutenção do apoio à reeleição de Dilma, e não “A ou B”. A presidenta recebe grupos do PMDB da Câmara e do Senado na manhã desta segunda-feira (10).

"Está certo o Michel (Temer) quando fala que é a convenção que decide apoio, aliás falei isso aqui no Twitter, só que os deputados têm opinião e voto",  disse o parlamentar fluminense.

Eduardo Cunha convocou reunião da bancada na Câmara para amanhã (11) com o objetivo de “rediscutir” a aliança com o governo Dilma. “Enganam-se os que acham que me comportarei diferente do que a bancada quer. Terça-feira debateremos”, escreveu o deputado.

De acordo com relato de Temer, Dilma reclamou das declarações de Cunha e avisou que pretende indicar um peemedebista para o Ministério do Turismo – o mais cotado é o senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) –, mesmo que não haja aval do partido. “Como é engraçado, sou gratuitamente agredido pelo PT, reajo e aí eu viro o culpado; eles a vítima”, retrucou o líder do PMDB na Câmara. “A bancada já decidiu, nomeiem quem quiserem para os cargos, que não queremos”, acrescentou.

Deputados ligados a Eduardo Cunha se movimentam para tentar derrubar o projeto de lei que institui o marco civil da internet, uma das prioridades de Dilma neste começo de ano. O grupo também ameaça apoiar pedido do DEM para que a Câmara crie uma comissão externa com o objetivo de apurar denúncias contra a Petrobras. Este é o primeiro item da pauta da Casa nesta semana. Nas comissões, há cinco requerimentos de convocação de ministros.

Enquanto Dilma se reúne com lideranças do PMDB, como Renan Calheiros (AL) e Henrique Eduardo Alves (RN), Eduardo Cunha dá palestra na Escola de Comando do Estado Maior do Exército, no Rio.

Leia mais sobre eleições 2014

Nosso jornalismo precisa da sua assinatura

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!