“Prioridade é enterrar o golpe”, diz novo líder do PT

Afonso Florence acusou veículos de comunicação de condenarem previamente lideranças do PT, como Dilma e Lula e defendeu a aprovação de medidas do ajuste fiscal, como a DRU, a CPMF e o "aumento de impostos para os mais ricos"

Novo líder do PT na Câmara, o deputado Afonso Florence (BA) disse ao Congresso em Foco que a prioridade número 1 da bancada petista este ano será evitar o impeachment da presidente Dilma Rousseff. “A prioridade da bancada, a primeira, é enterrar o golpe, a tentativa de golpe institucional na forma de impeachment, para o qual não há nenhuma justificativa”, declarou.

Veja a entrevista em vídeo:

Afonso acusou veículos de comunicação de condenarem previamente lideranças do PT, como Dilma e o ex-presidente Lula. Ele ainda defendeu que a bancada se esforce para ajudar o governo a aprovar medidas do ajuste fiscal, como a prorrogação da Desvinculação das Receitas da União (DRU) e a recriação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) e aumento de impostos para “os mais ricos”.

Ministro do Desenvolvimento Agrário no primeiro mandato da presidente Dilma Rousseff, o deputado foi aclamado o novo líder da bancada do PT nesta quarta-feira em substituição a Sibá Machado (AC). Os concorrentes Paulo Pimenta (RS) e Reginaldo Lopes (MG) desistiram da disputa. O acordo foi fechado em uma reunião na manhã de terça-feira depois que o receio de um maior descontentamento entre os deputados reduzisse ainda mais a representação do partido da presidente da República em meio à crise política.

Aos 56 anos, o novo líder tem um perfil de negociador. Discreto, tem participação ativa nas comissões de Finanças e Tributação e de Desenvolvimento, Indústria e Comércio. É considerado mais racional que o explosivo Sibá Machado. A escolha de Florence é também sinal de influência do ministro Jaques Wagner, de quem o novo líder foi secretário de Estado, sobre a bancada na Câmara.

Mais sobre PT

Mais sobre impeachment

Continuar lendo