“Não me sinto à vontade para condenar Donadon”, diz único que se absteve

Condenado pelo STF, Asdrúbal diz que foi condenado sem provas e pela teoria do domínio do fato

Somente o deputado Asdrúbal Bentes (PMDB-PA) se absteve na sessão que cassou o deputado Natan Donadon (ex-PMDB-RO). Condenado a três anos, um mês e dez dias de prisão, ele disse ao Congresso em Foco que não se sente à vontade para cassar alguém. “Não me sinto à vontade de condenar alguém se estou condenado”, disse ele à reportagem, logo após o resultado da sessão.

Além de Asdrúbal, outros 44 deputados estiveram ausentes do plenário, o que, em caso de falta de quórum, poderia facilitar a vida de Donadon. O presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB-RN), não votou por questões regimentais.

Asdrúbal Bentes foi condenado pelo STF por fazer 13 laqueaduras em mulheres em troca de votos, segundo a acusação. Já perdeu embargos infringentes e de declaração e aguarda a publicação da confirmação das condenações para saber como agir. Ele diz que é inocente. “As mulheres disseram que não fizeram isso, mas o Supremo não considerou”, disse Asdrúbal ao site hoje. “Usaram a teoria do domínio do fato para me condenar, uma coisa ultrapassada e que nem na Alemanha usam mais.”

Câmara cassa deputado preso por desviar dinheiro

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!