Líder do DEM pede desculpas por ‘traição’ de deputados do partido

Em nota, Ronaldo Caiado afirma que houve "traição ao sentimento da população" por parte dos oito deputados da bancada que apoiaram o governo na votação da MP 655

Jane de Araujo/Ag. Senado
Em nota oficial, o líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO), pediu "desculpas" em nome do partido pela posição de oito deputados da sigla que colaboraram para a aprovação do texto-base da MP 655/14, que torna mais rigoroso o acesso a direitos trabalhistas ao alterar regras de concessão de benefícios como o seguro-desemprego. A MP foi aprovada, na noite desta quarta-feira (7), por um placar apertado: 252 votos a 227.

No DEM, votaram contra a orientação da bancada e com o governo os deputados Carlos Melles (MG), Cláudio Cajado (BA), Elmar Nascimento (BA), José Carlos Aleluia (BA), Marcelo Aguiar (SP), Mizael Varella (MG), Paulo Azi (BA) e Rodrigo Maia (RJ).

Caiado disse que a "traição" de deputados do DEM comprova a tese de que alguns parlamentares querem “jogar o DEM no colo do governo”. “Desde o primeiro momento, alertei que os que defendiam a fusão queriam jogar o Democratas no colo do governo. A votação do arrocho fiscal de ontem comprovou essa tese”, disse o senador, fazendo referência ao processo de fusão do Democratas com o PTB.

“Foi deprimente ver o partido agir assim. Cabe a nós pedirmos desculpas por essa traição ao sentimento da população brasileira. Foi algo que nos machucou profundamente, mas nem por isso tira o nosso ânimo e determinação. A sociedade precisa entender que os que ficarem no partido continuarão na oposição”, declarou.

“Se os parlamentares que se comprometeram com a oposição tivessem votado contra a MP do PT, teríamos encurtado esse governo e definido um novo rumos para o país. A votação de ontem é o sinal claro do fim do ciclo do PT. Panelaços, faixas e PTrodólares voando pelo plenário. A luta continua. Democratas continuará na oposição”, finaliza o senador na nota.

Clique aqui para ver como cada deputado votou

Câmara aprova primeira medida do ajuste fiscal

Mais sobre ajuste fiscal

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!