‘Virgem e prostituta’, São Paulo aparece por inteiro em texto de Márcia Denser

No 460º aniversário de Sampa, o sofisticado retrato que a escritora oferece da mais rica e insana das cidades brasileiras

Virgem e prostituta. Eternamente alterada e violada por sucessivas hordas de migrantes e de especuladores. Cosmopolita. Enredada em ruas caóticas e incompreensíveis ao olhar de quem vem de fora, distingue-se das suas “rivais marítimas, Rio e Salvador, expostas à orla, à fuga por mar” por ter seu centro nervoso – e também o endereço de seus maiores enigmas – nas ruas centrais próximas à Praça da Sé e bem distantes do litoral.

Assim é São Paulo, na visão de Márcia Denser, conforme texto que a escritora, que é colunista do Congresso em Foco, aqui publicou dois anos atrás. Dele emerge uma visão poética refinada, com igual espaço para a admiração e a crítica, para dores e amores, orgulho e indignação. “Aceitá-la, a despeito de tudo, é uma benção e uma maldição”, resume a autora sobre Sampa.

Neste 460º aniversário da mais rica, populosa e insana cidade brasileira, deixamos o convite para que você viaje pelos mistérios paulistanos na companhia de quem os conhece como poucos.

Clique aqui para acessar a crônica de Márcia Denser sobre São Paulo

Mais sobre literatura brasileira

Nosso jornalismo precisa da sua assinatura

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!