Vice-presidente do PT compara 2013 com marchas pró-ditadura

O vice-presidente nacional do PT Alberto Cantalice comparou neste domingo (29) as manifestações de junho de 2013 com a Marcha da Família com Deus pela Liberdade, uma série de protestos em 1964 que antecederam a ditadura militar e interromperam o processo democrático e de liberdades individuais no país até 1985.

> Não, não são os 20 centavos…

"Junho de 2013 foi como a Marcha da Família em 1964, uma ação das classes médias.A grande diferença era etária, enquanto a de 64 eram as 'senhoras' as de 2013 eram os jovens. A 'proibição' da presença dos partidos de esquerda em 2013 nas manifestações já apontavam o reacionarismo", escreveu em seu perfil no Twitter.

Os protestos de junho de 2013 tiveram como estopim o aumento de 20 centavos na passagem de ônibus na cidade de São Paulo, administrada pelo então prefeito Fernando Haddad (PT).

O aumento na tarifa não foi a principal reivindicação dos insatisfeitos e após o primeiro grande ato na capital paulista as manifestações expuseram uma crise de representatividade entre a população e os políticos brasileiros e refletiram na queda da avaliação da então presidente Dilma Rousseff (PT).

>Lula ataca Bolsonaro, minimiza Ciro e diz que PT vai polarizar em 2022

> Para rivalizar com PT, PDT de Ciro tenta aliança com PSB para 2020 e 2022

A declaração de Cantalice foi dada ao comentar entrevista que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deu a emissora estatal venezuelana Telesur.

Na entrevista, Lula disse que as manifestações em junho de 2013 foram organizadas pelo serviço secreto americano, que teria interesse em desgastar o governo de Dilma.

“As manifestações de 2013 foram feitas já fazendo parte do golpe contra o PT. Elas já foram articuladas para garantir o golpe. Elas não tinham reivindicações específicas. As manifestações começaram como parte do golpe, incentivadas pela mídia brasileira e incentivadas, acho que inclusive, de fora para dentro. Eu acho já que teve o braço dos Estados Unidos nas manifestações do Brasil”, afirmou Lula.

Leia os comentários do membro do Diretório Nacional do PT sobre o assunto:

>Governo minimiza influência de Lula em pauta econômica; PT aposta em reforço

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!